Pin TPO Marcelo Simões em Annapurna Circuit no Nepal

20 maio, 2019
Autor: Redação

Aventureiros de plantão, essa viagem de Marcelo Simões vai inspirar vocês!!! Aos 31 anos, o instrutor de mergulho partiu para mais uma aventura inesquecível da sua vida. Foram 20 dias pelas montanhas do Nepal, para fazer um trekking no tão cobiçado em Annapurna Circuit.

Os detalhes dessa experiência única, você confere aqui. Fique de olho!

Annapurna Circuit

TPO – O que te inspirou e te moveu na busca desses destinos?

MARCELO: O que mais me inspira em viajar é ir para lugares com belas paisagens e natureza, e claro, culinária e conhecer amigos ao longo do caminho.

 

TPO – Qual foi o melhor conselho para esse(s) destino(s)?

MARCELO: Ouvi uma vez: nunca faça algo que você vai se arrepender depois, mas por outro lado é melhor se arrepender do que fez do que do que não fez…

 

TPO – Depois de já ter conhecido e desbravado alguns destinos, o que ainda te assusta?

MARCELO: Meu maior medo é perder voos, ultimamente no dia da viagem eu tiro pra estar tranquilo, chegar com antecedência e aproveitar o tempo para me organizar no aeroporto.

 

 

TPO –  Playlist da Trip:

MARCELO: Minha playlist chamada Good Vibe é uma das minhas prediletas. Musicas que animam e dão energia pra estar na estrada.

 

TPO – O que não pode faltar nessa mala?

MARCELO: Melhor coisa que tenho na mala é um kit de primeiros socorros bem diversificado, de esparadrapo pra bolhas no pé até remédios pra intoxicação alimentar. Nessa trip, foram essenciais, as pílulas para prevenir doenças de altas altitudes e pílulas de purificar água, que se acha fácil em Kathmandu ou Pohkara.

 

TPO – Como você chegou lá?

MARCELO: Chegando em Kathmandu, dá pra pegar um voo até Pokara, cidade bem legal na base das montanhas Annapurna. Peguei o ônibus de manha, na volta peguei o ônibus noturno, que foi muito melhor. Para salvar um dia de viagem, dá pra ir de Kathmandu direto pra primeira cidade, onde começa a Trilha Besisahar. Com um mapa ou um guia da pra se localizar bem fácil, toda a trilha é demarcada com tinta vermelha e branca e ao longo do caminho tem bastante gente, normalmente vão se formando grupos pelo caminho.

 

 

TPO – Mala de rodinha ou mochilão?

MARCELO: Mochilão, mas pack light, máximo 10% do peso corporal se não quiser contratar um porter. Não é preciso sleeping bag, dá pra dormir com os cobertores das guest houses. Comidinhas dá para comprar ao longo do caminho e um casaco e uma capa de chuva são mais que suficientes. Claro trekking shoes, luva, gorro e uma calça e uma camiseta térmica.

 

TPO – O que não dá pra perder?

MARCELO: A trilha em si mesmo é o highlight, minha melhor experiência foi descer de bicicleta após o ponto mais alto da trilha, 3 dias de downhill. A trilha toda para fazer caminhando é no mínimo 12 dias, é possível já começar em uma cidade chamada Chame que está por volta de 2500 metros de altitude, pegando um jipe de Besisahar que vai salvar dois dias de caminhada, e depois do Thorang Pass 5416 metros, muita gente pega um jipe até Tatopani para fazer a última perna da trilha chamada Poon Hill, ou volta direto pra Pohkara. É possível também, pegar um voo na cidade de Johnson até Pohkara ou Kathmandu por volta de US$100.

 

Annapurna Circuit

 

TPO – Onde e o que comer?

MARCELO: Ao longo da trilha, chegando em cada vila, encontra a que mais parecer hospitaleira, a melhor comida pra mim foi a batata suíça.

 

TPO – Onde se hospedou?

MARCELO: Cada dia em uma guest house ao longo da trilha, o que normalmente se negocia é, pagar pelo jantar e pelo café da manhã, e a acomodação sai de graça.

 

Annapurna Circuit

 

TPO – Em qual época do ano você escolheu ir para esse destino?

MARCELO: Fui na primavera, abril/maio, ainda tem muita neve no dia do Pass(5416 metros), por isso é bom ter spikes para a bota, encontra fácil em Kathmandu também. Porém, a época alta é setembro/outubro, quando é bem cheio e recomendável começar as trilhas todos os dias bem cedo para chegar na cidade de destino do dia por volta das 15h, para encontrar acomodação. Verão é época de chuva e inverno não é possível fazer.

 

TPO – Fatos engraçados:

MARCELO: Acho muito engraçado as coincidências que rolam pelo caminho, encontrar e reencontrar pessoas ao longo da viagem.

 

TPO – Cereja do Bolo:

MARCELO: A atmosfera do lugar, estar nas montanhas, é simplesmente maravilhoso.

 

Galeria de imagens de Marcelo Simões pela Annapurna Circuit:

 

Obrigada Marcelo, estamos encantadas com a sua aventura. Parabéns pela coragem e superação!

E para complementar esse relato incrível, não deixe de conferir o nosso post sobre o Parque Nacional de Sagarmatha no Nepal.

Tags:
Newsletter Inscreva-se na newsletter e receba gratuitamente todas as novidades do blog!

• Faça um comentário deste assunto •

Posts Relacionados