Pin TPO Dicas de Cusco contadas por Leandro Gonçalves

14 janeiro, 2019
Autor: Redação

Amante de viagens nato, Leandro Gonçalves, de 33 anos, é guia turístico, e leva o lema em sua bagagem: “A vida é um sopro, então devemos aproveitá-la da melhor maneira possível!”. Tivemos o grande prazer em recebê-lo aqui, no nosso cantinho especial dos viajantes, para saber tudo sobre sua incrível viagem a Cusco. Foram 6 dias muito bem aproveitados, com direito a Machu Pichu e diversas atrações pela região, e claro, com muitas dicas especiais sobre o lugar.

Leandro também compartilha suas experiências em seu Instagram e em seu próprio site chamado Preto Viajante. Não deixe de conferir, pois há relatos super interessantes para desbravar.

Então vamos saber como foi sua viagem ao Peru? Fique com a gente e aproveite…

 

 

TPO – O que te inspira e te move na busca de novos destinos e viagens?

LEANDRO: Saber que existe ainda um mundo imenso à minha frente e lugares incríveis pra conhecer. Me encanta saber que lá fora posso ver com meus olhos as coisas que antes só via na internet ou em revistas e/ou documentários. Sabe aquele desejo de nunca mais parar de viajar? De nunca mais deixar de querer conhecer outras culturas, povos, idiomas? Eu vivo assim ultimamente, sempre querendo mais. Se vejo alguma reportagem sobre tal país e me interessa, já começo a pesquisar, procurar, saber como é, até que acabo indo até aquele determinado lugar. Espero que isso nunca morra dentro de mim!

 

TPO – Qual foi o melhor conselho que já recebeu sobre “viagens”?

LEANDRO: Aqueles conselhos de mãe sempre vêm à tona: “Cuidado!” e “Aproveite bastante!”. Mas uma coisa que tenho carregado comigo atualmente, é que a vida é um sopro, então devemos aproveitá-la da melhora maneira possível!

 

TPO – Depois de já ter conhecido e desbravado alguns destinos, o que ainda te assusta?

LEANDRO: O que passou a me assustar foi perder o voo no caso de ter uma conexão longa e eu querer ir até o local explorar um pouco. Isso aconteceu comigo em Casablanca, Marrocos, numa conexão para Cairo, Egito. Ter perdido o voo me custou mais de 3 mil reais num outro voo. E também saber que mesmo estando às vezes em lugares tidos como “não perigosos” ter cuidado com mochilas, bolsas e carteiras. Sempre levo cadeados pra trancar minhas coisas de valor e deixo as chaves comigo até pra ir tomar banho.

 

 

TPO – Playlist da Trip:

LEANDRO: Eu sempre gosto de escutar música. Ultimamente tenho ouvido o projeto novo da Sandy (Nós, Voz, Eles), amo também o duo Anavitória. Durante o tour no Valle Sagrado, em Ollantaytambo, fiz um vídeo para meu Instagram e coloquei de fundo a música Calendário, do duo Anavitória. Deu aquele toque especial ao local que por si só já transmite uma paz e uma energia incrível. Claro que não posso deixar de fora o reggaeton, que é ritmo marcante de lá.

 

TPO – O que não pode faltar nessa mala?

LEANDRO: Como em Cusco faz frio (sou do Rio e qualquer temperatura abaixo de 20º pra mim já é congelante rsrs) não pode faltar aquele casaco legal (trench coat), tênis confortável para trilhas, repelentes e protetores de pele e labial. Lá é o famoso “tira casaco – bota casaco”. Sol muito quente e frio “congelante”, ok, estou exagerando! rs.

 

TPO – Como você chegou lá?

LEANDRO: Para Cusco saí do Aeroporto Galeão, no Rio de Janeiro, e tive uma conexão em Lima, no Aeroporto Jorge Chávez, que me permitiu até dar uma volta pela cidade.

 

TPO – Mala de rodinha ou mochilão?

LEANDRO: No meu caso, sempre mala de rodinha. E uma mochila pequena pra por as “tranqueiras” que sempre compro durante as viagens (ímãs de geladeira, canecas, chaveiros e etc.). Ainda to no time Mala de Rodinhas RS.

 

TPO – O que não dá pra perder?

LEANDRO: Machu Picchu e a Laguna Humantay. Machu Picchu tem uma energia que me fez ficar emocionado, o local transmite uma paz que deixa qualquer um extasiado. A Laguna tem uma cidade íngreme, de cerca de 1h30, porém a vista daquele lugar recompensa todo o esforço gasto durante a subida.

Também sempre indico fazer o Free Walking Tour, principalmente com a galera que está de camiseta azul. Foram indicados para mim e agora indico para todos, eles conhecem toda a história da cidade e são muito bons guias.

O tour Valle Sagrado também é uma ótima pedida para quem quer visitar antigas ruínas, laboratórios agrícolas dos incas e conhecer mais sobre esse povo que parecia viver à frente de seu tempo, tamanha inteligência e espiritualidade. Também nesse tour visita-se a salineira de Maras. Incrível!

 

TPO – Onde e o que comer?

LEANDRO: Indico o restaurante Fusiones, no centro de Cusco. Comida local: Almoço, prato principal e sobremesa + uma limonada gostosa por menos de 30 reais. Bom custo-benefício! Como amo hambúrguer também indico o restaurante Papacho’s, com uma deliciosa variedade de pratos e hambúrguer artesanal da melhor qualidade.

Outro bom restaurante é o Rock & Roll’os Shawarma Pizza Café. Num dia que queria fugir um pouco da comida peruana, corri pra lá pra comer uma pizza, fui muito bem recebido pelo dono e a pizza estava deliciosa. Vale conferir.

Outro bom restaurante com comida típica e barata é o Jugueria Peru Juice, além de tortas e doces o local oferece comida local gostosa e barata. Me salvou também!

 

TPO – Onde se hospedou?

LEANDRO: Fiquei hospedado no Pariwana Hostel, próximo à Plaza de Armas, no centro de Cusco. Fui muito bem recebido pela equipe, que logo se prontificou a mostrar as dependências do hostel. Na diária estava incluso o café da manhã, os quartos possuíam lockers e mesmo na recepção também tinham uns lockers menores para colocar objetos de valor e tudo monitorado 24h para garantir a segurança. O hostel é bem agitado, tendo eventos (churrascos, beer pong) e festas quase todas as noites no bar. Também tinha cozinha para quem quisesse fazer sua própria refeição e serviços de transfer. Não tenho o que reclamar de lá, super bem localizado e o um ótimo atendimento!

 

 

TPO – Em qual época do ano você escolheu ir para esse destino?

LEANDRO: Apesar de Cusco ser mais visitada no meio do ano, decidi ir em novembro por se tratar do mês do meu aniversário, e o tempo lá não decepcionou. Antes de decidir, conversei e perguntei a alguns amigos e turistas que levava pra fazer City Tour aqui e eles mesmo diziam que novembro era um mês bom e que se tivesse chuva seria pouca. E dito e feito! Tive apenas um dia com uma chuva que durou 20 minutos. De resto foi tempo firme, alguns dias nublados, porém nada além desse pouco de chuva. Sorte!

 

TPO – Fatos engraçados:

LEANDRO: Uma situação embaraçosa foi ter visitado a Laguna Humantay e ter deixado a capa de chuva na mochila da minha prima, Amanda, que foi comigo nessa viagem. Acabou que na descida eu comecei a caminhar e passei à frente dela e do restante do grupo. Eis que cai uma chuva de granizo e eu apenas com o capuz para me proteger. Além da descida ter virado lama e eu ter caído duas vezes, estava segurando um bastão para dar apoio que acabou rolando ladeira abaixo e eu correndo e escorregando atrás do bastão para não ter que pagar pela perda dele. Olhei pra trás e haviam umas 5 pessoas olhando pra minha cara. Vergonha total!

Um outro fato que não foi engraçado porém acabou se tornando, foi um pequeno tremor de terra que durou uns 6 segundos, sentido por mim logo durante a manhã, cerca de 6h10 da manhã. Um amigo que dividia o mesmo quarto que eu, Irlandês, levantou desesperado da cama, perguntando se era terremoto e saiu correndo pra fora do quarto. Porém acho que nem ele percebeu que ele estava apenas de cueca samba-canção e uma camisa social, nada além disso! Foi meio desesperador ter sentido o tremor, porém no final tudo ficou bem! E até agora lembro disso e acho graça do coitado correndo perguntando: “É um terremoto? É um terremoto?”

 

 

TPO – Cereja do Bolo:

LEANDRO: Sem dúvidas Machu Picchu. Saber que, a cidade criada no século XV e encontrada depois em 1911 foi construída por um povo que não tinha tecnologia avançada como a nossa atualmente, porém conseguiram construir uma cidade no topo da montanha e ali tinham seus costumes e sua religiosidade, é de impressionar. A energia do local é sentida assim que você chega. E se você tem a sorte de ter um dia lá com o tempo bom como eu tive, pode admirar ainda mais e ver que a beleza do local permanece ano após ano.

O que também me encantou em Cusco foi a cidade em si. Aconchegante, acolhedora, tem uma atmosfera única, ímpar. Dá aquela vontade de passar mais tempo, as pessoas também são super simpáticas e te tratam de forma amigável e são na sua maioria atenciosos com os turistas. Sabem como tratar bem um visitante e fazê-lo se sentir acolhido e à vontade!

 

Galeria de fotos em Cusco por Leandro Golçalves:

 

 

Newsletter Inscreva-se na newsletter e receba gratuitamente todas as novidades do blog!

• Faça um comentário deste assunto •

Posts Relacionados