Pin TPO A imperdível viagem de Paulo Storch em Chamonix na França

27 maio, 2019
Autor: Redação

O designer de 32 anos, Paulo Storch, aproveitou a sua viagem a trabalho em Paris, para conhecer um dos lugares mais bonitos e procurados da França: Chamonix Mont Blanc, uma comuna do departamento da Alta Saboia, que está localizada na região de Aurérnia-Ródano-Alpe.

Foram 4 dias vivendo essa experiência única e inesquecível, que tivemos a oportunidade de receber todos os detalhes por aqui. Não perca, pois o relato e as fotos estão de cair o queixo.

 

 

Paulo Storch em Chamonix:

TPO – O que te inspira e te move na busca de novos destinos e viagens?

PAULO: O que mais me inspira, independente do destino que busco conhecer, é ter a possibilidade de sentir a essência do lugar…e claro, a beleza que o local transmite, desde uma cidade caótica com carros e pessoas por todo lado, até um vale com montanhas enormes repletas de árvores num dia ensolarado.

ChamonixTPO – Qual foi o melhor conselho que já recebeu sobre “viagens”?

PAULO: Uma vez, a muito tempo atrás, me falaram para “sentir” o lugar que visitamos. Desde então, esse é meu lema!

TPO – Depois de já ter conhecido e desbravado alguns destinos, o que ainda te assusta?

PAULO: Pra ser sincero, meu maior medo num destino é perder a oportunidade de conhecer alguma coisa que planejei antes da viagem, seja por falta de tempo ou por algo do tipo. Mas, graças a Deus, até hoje não tive esse problema! As vezes acabo conhecendo mais coisas do que o esperado! Então estou aprendendo a abrir um pouco  mão de ser TÃO planejado assim.

TPO – Playlist da Trip

PAULO: Putz, na verdade tenho um iPod que é meu fiel escudeiro desde sempre, onde monto algumas playlists específicas pro destino. O ápice da minha última viagem (Chamonix em Outubro/2018), foi ter sentado no gramado na encosta da primeira parte da montanha Aiguille du Midi, completamente sozinho, vendo o pôr do sol, com a música “Delectatio – Senses”. Foi indescritível, de chorar por momentos com tanta beleza e a música nos ouvidos…

TPO – O que não pode faltar nessa mala?

PAULO: Nunca deixo de levar minha câmera e meu iPod!

TPO – Como você chegou lá?

PAULO: Fui pra Paris a trabalho, e consegui um tempo pra curtir depois, decidindo ir pra Chamonix. Vi que na internet falam que o melhor jeito é ir por Genebra, na Suíça. Mas fiz os cálculos e vi que perderia muito tempo e dinheiro pra ir ao aeroporto de Paris, chegar em Genebra, pegar um ônibus/transfer, e chegar em Chamonix. Acabei decidindo ir de trem, e foi a melhor escolha que fiz! A viagem é um pouco demorada (7 horas com duas trocas de trem pra ir, e a mesma coisa pra voltar), mas a paisagem pela janela é indescritível o caminho todo. Foi super tranquilo e nem vi o tempo passar.

 

Chamonix

TPO – Mala de rodinha ou mochilão?

PAULO: A princípio eu queria levar um mochilão por medo da chegada na vila. Mas o clima lá é bem frio, e levei alguns casacos grandes. Claro que não coube no mochilão kkk…Então decidi ir de mala de rodinha mesmo, e não tive problema algum! A vila era bem plana, com ruas asfaltadas e calçadas bem estruturadas.

TPO – O que não dá pra perder?

PAULO: A experiência mais incrível foi ter ficado do final da tarde até a noite no Plan de l’Aiguille (primeira parte da montanha Aiguille du Midi). Pra subir até lá, usei o teleférico (32 euros), e descobri que o ticket “diário” poderia ser usado para descer de volta à vila no dia seguinte. Como a última descida dele é sempre às 16h30, fiquei lá em cima sozinho, apenas eu e a vista indescritível do alto da montanha. Isso foi um bônus não planejado, pois fiquei por lá com o propósito de dormir no Refuge du Plan de l’Aiguille, um lugar quase como um refúgio para que os alpinistas/trekkers passem a noite. Como sou viciado em fotografia noturna, quis dormir por lá para poder percorrer as trilhas da montanha e tirar fotos das estrelas. Foi fantástico!!!

 

Chamonix

TPO – Onde e o que comer?

PAULO: A maioria dos pratos lá eram pra turistas mesmo, e não encontrei coisas típicas. Mas comi um fondue de queijo num restaurante do centrinho, que deu água na boca só de lembrar! Não lembro o nome do restaurante, mas era ao lado do Atmosphere.

TPO – Onde se hospedou?

PAULO: Decidi me dar de presente uma estadia boa e tranquila. Reservei pelo Booking.com o Hotel Alpina Eclectic, que fica apenas a 5 minutos de caminhada da estação de trem! O hotel era fantástico, desde a recepção, passando pelo bar/restaurante, até o quarto. Na reserva, informei ao staff que eu era fotógrafo e gostaria de um quarto com varanda e vista para a montanha mais famosa de lá (Aiguille du Midi), e atenderam ao meu pedido me colocando no último andar, do jeitinho que eu queria! O quarto e banheiro eram muito limpos, com um design bem moderno, luzes baixas pra uma atmosfera mais acolhedora, aquecimento geral, acústica ótima e claro, uma excelente vista da varanda. Não optei por reservá-lo com café da manhã pois achei meio caro (19 euros à vontade). Como ele é bem perto de tudo, tomei café pelo centrinho. E em baixo dele existe uma galeria com mercado, então alimentação não era um problema!

 

TPO – Em qual época do ano você escolheu ir para esse destino?

PAULO: Esse ponto foi muito importante na escolha desse destino. Antes de decidir ir, fui atrás de fotógrafos que moram ou que já foram pra lá para perguntar se a época que eu estava indo era boa para fotografia noturna. Tive muito receio de chegar e o clima não me ajudar, ou com chuva, ou com neve, ou com um dia nublado. Todos me falaram que a época era boa de fato, e que a vegetação estaria com os tons alaranjados do outono, mas nunca dá pra saber se a mãe natureza vai nos ajudar. Graças a Deus fez sol todos os dias, e noites completamente limpas de nuvens! No planejamento, o único problema era que a lua cheia começava bem no dia da minha chegada, podendo atrapalhar as fotos. Mas foi muito pelo contrário, ela me ajudou (e muito) a deixar toda a cena iluminada pra uma composição mais bonita, sem perder a visibilidade das estrelas! Fora as fotos diurnas, com as árvores alaranjadas junto aos cumes das montanhas com neve…

TPO – Fatos engraçados:

PAULO: Não passei por nenhum momento em que ri de mim mesmo kkk, mas passei por momentos de superação física! Existem muitas trilhas por lá, desde as mais tranquilas até as mais íngremes e complexas. Algumas consegui me superar, mas outras, infelizmente tive que jogar a toalha.

Chamonix

 

TPO – Cereja do Bolo:

PAULO: Com certeza o que mais me tocou foi o ápice da viagem como pude relatar lá em cima em outra resposta. Quando me vi sozinho no final da tarde até a noite no Plan de l’Aiguille, vi e senti que a mãe natureza realmente é impressionante…Me senti minúsculo naquela imensidão de belezas, e nesses momentos sempre me questiono quem sou eu nesse mundão. Felizmente ainda não tive essa resposta! Então isso se torna uma grande oportunidade pra sentir e conhecer muita coisa antes de encontrá-la!

 

Galeria de fotos de Paulo Storch em Chamonix:

Newsletter Inscreva-se na newsletter e receba gratuitamente todas as novidades do blog!

• Faça um comentário deste assunto •

Posts Relacionados