Trilhas e aventuras na Pedra do Baú

2 Maio, 2018
Autor: Redação

Falou em aventura e ecoturismo, estamos dentro! Se for combinada com trilhas, muito verde, natureza, uma vista de tirar o fôlego do Vale do Paraíba, o Sul de Minas, muita mata atlântica e pertinho da cidade de São Paulo, então… melhor ainda. Assim é o Complexo do Baú ou Pedra do Baú, uma enorme e incrível formação rochosa transformada em parque ecoturístico, localizado em São Bento do Sapucaí, na Serra da Mantiqueira, e com acesso também por Campos do Jordão.

Prepare-se para se aventurar com a gente. É só continuar lendo!

Pedra do Baú, Campos do Jordão

Pensou que o nome Pedra do Baú era porque o formato da formação rochosa lembra o objeto? Nada disso! A origem vem do tupi-guarani embahu, que significa ‘ponto de vigia’. E por falar em origem…

Diz a lenda que, no passado, muitos caboclos, tropeiros e fazendeiros acreditavam que no alto da pedra, em uma gruta, havia um tesouros dos índios escondido. Acreditando nisso, dois irmãos, Antônio e João Cortez iniciaram as tentativas de subir até o topo. Foram onze anos de tentativas frustradas até que Antônio conseguisse, tornando-se o primeiro homem a escalar e correr a pedra de ponta a ponta, em 1940. Este feito de subir até o topo sem conhecimento ou equipamentos, somente com muita coragem e intuição, é considerado como um marco do montanhismo brasileiro até hoje.

Claro que não havia nenhum tesouro, mas os irmãos Cortez junto com o empresário Luís Dumont Villares, neto de Santos Dumont, fizeram um bom dinheiro ao se responsabilizarem pelas obras de instalação dos degraus de ferro que, até hoje, possibilitam que qualquer pessoa consiga chegar até o topo da Pedra do Baú. Villares também foi o responsável pela construção do primeiro abrigo de montanha do Brasil, no topo da pedra: um chalé com sistema de armazenamento de água de chuvas, lareira e um livro de cume para que os aventureiros que pernoitassem por ali registrassem suas histórias. Infelizmente, vândalos levaram o chalé à destruição e, atualmente, restam apenas suas ruínas.

Ah! A Pedra do Baú, que tem 1.960 metros de altitude, é um dos montes que formam o Complexo do Baú juntamente com o Bauzinho, de 1.760 metros e a Ana Chata, de 1.670 metros.

Complexo do baú: Pedra do Baú, Bauzinho e Ana Chata

Dicas essenciais:

  • Qualquer época é boa para visitar o Circuito Turístico da Pedra do Baú, mas para que você consiga subir ao topo e aproveitar ao máximo a vista e as atividades ao livre com segurança é imprescindível que não haja nem ameaça de chuva.
  • Apesar do frio da região, no inverno e outono o céu é muito limpo e suas cores magníficas.
  • É muito importante que você leve água, comidas leves, sacos de lixo (por favor, não deixe rastros de lixo por onde passar!) e agasalho porque, mesmo no verão, o vento é gelado lá no alto.
  • Controle a duração do seu passeio para que ele termine antes do total desaparecimento do Sol. Por precaução, leve lanternas com baterias extras.
  • Compartilhe a sua programação com alguém que não esteja no passeio para que, em caso de imprevistos, seja mais fácil te localizar.
  • Procure começar a trilha entre 7h e 8h para evitar “congestionamento” nas escadas de ferro.

Vista da Pedra do Baú

Como acessar:

Dá para chegar ao Complexo do Baú partindo de São Bento Sapucaí, há 200 Km da cidade de São Paulista ou via Campos do Jordão, há cerca de 170 Km da capital paulista e 350 Km da cidade do Rio de Janeiro. De lá, o ideal é ir de carro pela Estrada da Campista ou Caminho da Pedra do Baú, que parte do bairro Jaguaribe. São 21 Km, sendo 11 Km de terra em boas condições. Todo o caminho é muito bem sinalizado.

As trilhas do Complexo do Baú:

Bauzinho – Com apenas 10 minutos de duração, não requer muito esforço e preparo físico, o que faz com que seja acessível a qualquer pessoa. A vista são as grandes paredes da Pedra do Baú e há quem diga que é o visual mais bonito do parque.

Pedra do Baú – Para chegar ao topo da grande estrela do parque, com vista 360º do Vale do Paraíba, Sul de Minas Gerais, São Bento do Sapucaí e Campos do Jordão, é preciso muita disposição, já que são 5 Km de muita subida. A parte mais delicada é a da escada metálica, que requer atenção redobrada e até equipamento de segurança (até dá para dispensá-los, mas pra que correr esse risco, né?). Para todo o percurso são necessárias cerca de 5h. Não é preciso nem dizer que para aguentar essa caminhada é preciso gostar de adrenalina e bastante preparo físico, né?

Ana Chata – A longa trilha que leva ao alto da pedra é estreita, difícil, com abismos ao lado e ainda uma gruta onde dormem morcegos durante o dia. São aproximadamente 2h30 de caminhada mas a vista, claro, compensa qualquer dificuldade.

Os mais animados e aventureiros podem fazer o circuito completo, que leva em média 8 horas: começar pelo Bauzinho, seguir para o topo da Pedra do Baú pelas escadas da face Sul, descer pela face Norte e finalizar na Ana Chata.

Vamos radicalizar mais um pouco?

Além do montanhismo, o jeito mais tradicional de subir as rochas, há outras atividades que geram muita adrenalina por ali:

Rappel – Que tal utilizar a técnica de descida por corda com equipamentos de escalada depois de chegar ao topo das pedras? Se não for profissional, é necessário o acompanhamento de guias qualificados.

Ecoturismo no Vale do Paraíba

Base jump – Os profissionais praticantes desse esporte pra lá de radical e arriscado, que consiste em saltar de paraquedas de um ponto fixo (prédios, pontes, montanhas), descobriram o cume da Pedra do Baú como um excelente ponto de partida. Esse não é para amadores.

Onde praticar base jump no Brasil - Pedra do Baú

Mountain bike – A região montanhosa é perfeita para quem gosta de pedalar por descidas radicais com um cenário deslumbrante. Uma dica é o percurso de 18 Km da estradinha de acesso ao distrito de Luminosa, que parte da estrada que liga Campos do Jordão a São Bento do Sapucaí.

Voo livre ou paraglider – A rampa de onde partem os voos livres fica a 4Km do estacionamento do Baú. É possível contratar o serviço ali mesmo ou através de agências de viagem.

Em São Bento do Sapucaí, conheça também:

  • Capelinha do Mosaico
  • Cachoeira do Toldi
  • Cachoeira dos Amores

Pontos turísticos em São Bento do Sapucaí

Para matar a fome…

  • Restaurante Pedra do Baú – Comida estilo mineira, no estilo self service à vontade, bem no pé da Pedra da Baú.
  • Sabor da Serra – Também no esquema buffet à vontade, fica no centrinho da cidade e puro charme.
  • Taipa Restaurante – Culinária regional em fogão a lenha e ambiente rústico.
  • Armazém São Bento – Ideal para um café da manhã reforçado ou café da tarde com bolo fresquinho.
  • Hub Lounge & Bistrô – É uma das únicas opções mais agitadinhas da cidade, com música ao vivo e excelente carta de cervejas artesanais.

Onde se hospedar:

Vale a pena visitar também…

Como São Bento do Sapucaí é bem pequenininho e dá para conhecer a cidade e fazer o Circuito Turístico da Pedra do Baú em um único dia, vale a pena dar uma esticadinha até outras cidades da região como Campos do Jordão (especialmente se você gosta de agito), Gonçalves e Santo Antônio do Pinhal.

Está esperando o que para arrumar a mochila e partir para essa aventura?

Newsletter Inscreva-se na newsletter e receba gratuitamente todas as novidades do blog!

• Faça um comentário deste assunto •

Posts Relacionados