São Francisco do Sul, a cidade mais antiga de Santa Catarina

17 setembro, 2019
Autor: Redação

Já ouviu falar de São Francisco do Sul, em Santa Catarina? Para quem não sabe, além de belíssimas praias, o destino conta com uma rica bagagem histórica, afinal de contas, essa é uma das cidades mais antigas do Brasil.

Quer conhecer a sua história e saber todas as suas atrações turísticas? Então fique com a gente e planeje mais uma viagem.

A cidade mais antiga de Santa Catarina e a terceira do Brasil, São Francisco do Sul, ou São Chico, como também é carinhosamente conhecida, possui uma área de 493 km² e conta com aproximadamente 42.500 habitantes. O lugar é procurado por turistas, pois além de uma grande bagagem histórica, com casas em estilo colonial português, ruelas antigas e um centro histórico tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, a cidade conta com praias incríveis e muita natureza ao redor, atraindo também os amantes de ecoturismo.

Já dá pra imaginar quão rica é São Chico, não é?! Então para começarmos o nosso post, falaremos um pouco sobre a sua história, veja só:

História de São Francisco do Sul:

Foi no dia 5 de janeiro de 1504, que o navegador francês Binot Palmier de Gonneville ancorou nas água da Baía da Babitonga, dando então o início da povoação catarinenses. Vindo em busca de riquezas (assim como os outros navegadores da Europa), Binot pegou uma grande tempestade no caminho, e encontrou as terras de Santa Catarina para se abrigar.

O navegador e os seus companheiros foram muito bem recebidos pelos índios carijós, – os verdadeiros primeiros moradores dessas terras -,  que eram chefiados pelo cacique Arosca, e por lá se deparam com água potável, madeira, alimentos e suprimentos que contribuíam para a sobrevivência dos mesmos.

Foi então, que no começo do mês de julho de 1504 decidiram retornar para França. Aproximadamente 11 anos mais tarde, em uma outra expedição, porém dessa vez pelo navegador Juan Días de Solís, chegaram na baía, onde os índios nativos chamavam de Babitonga, os espanhóis, com o objetivo de encontrar uma caminho mais rápido para as Índias Orientais. Por lá ele permaneceram, denominaram as terras como São Francisco, permanecendo até os anos de 1553 e 1555, quando a povoação espanhola foi ataca pelos índios tupiniquins, obrigando-os a deixarem a região, e irem para Assunção, no Paraguai.

Um pouco mais de 100 anos depois, em 1658, chega Manuel Lourenço de Andrade – um bandeirante português – junto com toda a sua família e uma grande quantidade de escravos, além de alguns animais e equipamentos necessários para pastoreio e agricultura, sendo marcado e oficializado então, como o fundador de São Francisco do Sul.

Manuel distribuiu os colonos pelas terras, dando início nas plantações de mandioca, cana e algodão, e incentivou o surgimento de indústrias de barcos e cordas. No ano de 1660 o povoado ganhou o título de Vila, e poucos anos mais tarde, em 1665, com a chegada do primeiro vigário, Padre Manoel dos Santos, virou uma Paróquia.

Nesse mesmo ano, faleceu Manoel Lourenço de Andrade, onde havia pedido em seu testamento que fosse sepultado no arco cruzeiro, que fica na igreja da cidade. Décadas depois, São Francisco começa a atrair diversos investimentos de outros empreendedores.

Atualmente, o destino carrega muito da sua história, com colonos que mantêm a herança cultural, com festas típicas, arquitetura, costumes e gastronomia.

Atrações turísticas Históricas de São Francisco do Sul:

Museu Nacional do Mar: Esse é o único museu de embarcações do Brasil, onde reuni um rico acervo com inúmeras peças vindas de todo o país. O local conta com 10.000m² de área, 15 salas temáticas que contam sobre a vida dos homens que trabalham embarcados, auditório, biblioteca e loja de souvenirs. Para mais informações, acesse o site do Museu Nacional do Mar. 

  • Funcionamento: terça à sexta-feira das 9h às 17h30. Sábados, domingos e feriados, das 10h às 17h30.

Museu Histórico: Um prédio que começou a ser construído no final do século XIX e concluído apenas em 1914, onde já foi conhecido como o Palácio da Praia do Motta, e já funcionou como cadeia pública, recebendo presos como líderes revolucionários. O museu foi todo restaurado, porém mantendo as suas características essenciais, incluindo as grades da cadeira, e reinaugurado em dezembro de 1985. Por lá, podemos explorar um acervo que conta muita história sobre a cidade, com documentos importantes, objetos da época e utensílios, com o objetivo de manter a cultura raiz do local.

  • Funcionamento: terça à sexta-feira das 8h às 18h. Sábados, domingos e feriados das 11h às 18h.

Santuário de Nossa Senhora da Graça: Construída no estilo veneziano, no anos de 1665, essa igreja ajudou a cidade que na época era uma vila, elevar sua categoria para Paróquia. Antigamente, em baixo de seu assoalho, a igreja também funcionava como local de enterro para as pessoas importantes de São Chico. A igreja já passou por inúmeras reformas até hoje, onde recebeu o seu relógio somente no início do século XX e sua segunda torre sendo finalizada no fim dos anos 1940.

Museu Diocesano de Arte Sacra Padre Antônio de Nóbrega: Anexada com a Igreja Matriz Nossa Senhora da Graça, o museu possui um acervo com cerca de 800 peças, que contam a história e preservam as artes sacra.

  • Funcionamento: terça-feira a sexta-feira das 9h às 17h. Sábados, domingos e feriados das 10h às 16h.
  • Para mais informações, o telefone do local é: (47) 3444-5093.

Mercado Municipal: Esse foi o principal local para o comércio de produtos artesanais e agrícolas, inaugurado em janeiro de 1900, quase 30 anos depois ganhou um anexo para comerciantes de peixes e atualmente é a sede de mercearias, lojas e artesanatos, peixarias e restaurantes. Em datas especiais o Mercado Municipal também abriga algumas apresentações folclóricas, como a dança do vilão e o boi de mão.

Atrações ao ar livre de São Francisco do Sul:

Parque Ecológico Municipal Celso Amorim Salazar Pessoa: Um parque com uma área histórica que conta com aproximadamente 16 mil m². São diversas trilhas, pontos para observação de paisagens e até um local com resquícios da capela São José, que construída em XVII.

  • Funcionamento: Entrada gratuita de segunda à domingo da 9h às 17h

Baía de Babitonga: Esse local é a maior baía navegável do estado e está na foz do Rio Palmital, que fica entre São Francisco do Sul e a cidade de Joinville. Dizem que a Baía Babitonga foi habitada há 3 mil anos, por caçadores e homens do sambaqui. O lugar é muito procurado por pesquisadores, devido à sua rica fauna, que é composta por diversos animais, como golfinhos por exemplo.

Ruínas do Casqueiro: Outro lugar que ainda preserva a sua história original, é esse. Localizado na Praia Grande, por aqui podemos observar as ruínas da igreja São Sebastião o antigo cemitério onde eram enterradas as pessoas ricas da cidade.

Parque Estadual do Acaraí

Parque Estadual do Acaraí: O parque foi inaugurado em 2005, com o objetivo de estabelecer uma política territorial para essa região, principalmente ao turismo sustentável. Ele na verdade é um complexo hídrico formado pelo rio Acaraí, rio Perequê e lagoa do Capivaru. Já foram mais de 337 espécies de vegetais, 176 de ave, 35 espécies de répteis, 17 de anfíbio, 38 espécies de peixes e 20 espécies de mamíferos identificadas, onde são feitas diversas pesquisas que beneficiam a biodiversidade do local, além de um trabalho de conscientização e educação ambiental.

Morro do Pão-de-açúcar: Esse é o ponto mais alto da cidade, com 150 m de altitude, que também é conhecido como Morro da Cruz. O local possui esse nome, pois  Binot Palmier de Gonneville ergueu uma cruz na cidade para celebrar a Páscoa de 1504, antes de voltar para a França, e então em 1947 foi feita uma réplica e instalado nesse morro.

Sambaqui: Um local lotado de ferramentas, destroços, conchas e até ossos, que provam a existência de um povoado há pelo menos 6 mil anos, os conhecidos sambaquianos.

Mirante da Enseada: Para chegar ao topo do mirante que está no fim da Praia da Enseada, é preciso encarar uma escadaria de 300 degraus, porém como recompensa, ganhamos uma vista única da orla e outras praias da cidade.

Forte Marechal Luz: Um forte construído em 1909 para proteger a cidade de possíveis invasões, que até hoje é controlado pelo Exército, que mantém a sua estrutura bem cuidada. Por lá também existe um museu com objetos, mapas, documentos, equipamentos, entre outros artefatos utilizados na época.

Praias de São Francisco do Sul:

  • Praia do Ervino –  ideal para pessoas que preferem praias mais tranquilas e que procuram contemplar a natureza;
  • Praia da Saudade – Conhecida como Prainha, é uma das mais bonitas e mais procuradas pelos surfistas. É aqui que está localizado o maior sambaqui da cidade;
  • Praia Grande – Possui agitação e tranquilidade ao mesmo tempo, e também procurada por surfistas e pescadores;
  • Praia da Enseada – Tranquila, com águas calmas e infraestutura com bares e restaurantes, a Enseada é muito procurada por famílias com crianças;
  • Praia de Ubatuba – Mar com águas cristalinas, uma praia tranquila e também ideal para a prática do surfe;
  • Praia de Itaguaçu – Também com águas do mar cristalinas, a Itaguaçu é frequentada por veranistas, moradores locais e turistas com família;
  • Praia do Forte – Onde está localizado o Forte Marechal Luz, essa praia de mar aberto possui manguezais e restingas, muito procurada por pescadores, além de frequentadas por turistas que procuram praias mais vazias.
  • Praia do Capri – Uma praia grande com águas tranquilas, de baía, perfeita para banhos e prática de esportes;
  • Praia do Molhe – Praia de mar aberto e condições perfeitas para práticas de surfe e bodyboard.


Seguros Promo

Atividades:

  • Parapente;
  • Montanhismo;
  • Escaladas e Rapel (Morro da Palha, Morro Agudo, Morro do Pão-de-açúcar e Pedra Grande);
  • Surf;
  • Sandboard;
  • Tracking;
  • Stand up paddle;
  • Mountain bike;
  • Canoagem;
  • Mergulho;
  • Caiaque;
  • Corrida de aventura;
  • Paraquedismo;
  • Bodyboard;
  • Arvorismo;
  • Kitesurf;
  • Longboarding;
  • Slackline;
  • Skateboard;
  • Windsurf;
  • Parkour;
  • Motocross;
  • Wakeboard.

Como chegar em São Francisco do Sul:

O aeroporto mais próximo da cidade é o Lauro Carneiro de Loyola, em Joiville, a 70 km de distância, ou o Aeroporto Internacional de Navegantes, a 96 km. Porém, o de Florianópolis não está tão mais longe do que isso, a 199 km, e nem o de Curitiba, que está a 165 km, que contam com mais voos de outras cidades do Brasil. A partir de então recomenda-se alugar um carro, e seguir estrada até o destino final.

Quando ir:

A melhor época para ir a São Chico e curtir a natureza, é durante a primavera e o verão, já que são as estações mais quentes, perfeitas para aproveitar as praias e rios. Lembrando também, que o inverno e o outono não são muito recomendados, não só pelas baixa temperaturas, mas também devido à diversos comércios e serviços não funcionarem.

Restaurantes em São Francisco do Sul:

Hotéis em São Francisco do Sul:

Aposto que se surpreendeu com tantas belezas dessa cidade, acertamos?

Já que está planejando essa viagem, então dá um pulo em outros posts do Tá Por Onde com destinos de Santa Catarina. 

Até a próxima!!!

Tags: , , ,
Newsletter Inscreva-se na newsletter e receba gratuitamente todas as novidades do blog!

• Faça um comentário deste assunto •

Posts Relacionados