Petrópolis: Passeios históricos e ecoturismo pela região serrana do Rio

27 agosto, 2019
Autor: Redação

Muito se fala da cidade do Rio de Janeiro, mas não é todo lugar que fala sobre os outros lugares incríveis que o estado tem a oferecer. Petrópolis, na região serrana do Rio, é um dos casos que fizeram os nossos olhos brilharem. Um destino rico em paisagens naturais e muita história pra contar.

Ficou curioso (a)? Então fique com a gente e conheça melhor Petrópolis

Conteúdo destinado à jovens de 12 – 20 anos

Conteúdo destinado à adultos de 21 – 59 anos

 

 

 

 

 

Se Campos do Jordão é o destino preferido dos paulistas para curtir o inverno, com certeza Petrópolis é o local escolhido pelos fluminenses para aproveitar as temperaturas mais baixas, afinal, a Cidade Imperial, (como também é conhecida) está localizada na região serrana do estado, apenas a 65 km da cidade do Rio de Janeiro, fazendo parte também da Região Metropolitana.

Petrópolis ocupa uma área de 795,798 km² e conta com cerca de 305 687 habitantes, e indo bem em contramão a capital, essa é a cidade mais segura do estado e a sexta cidade mais segura do Brasil, além de ter o maior PIB e IDH da região.

Incrível, não é?! Mas com todas essas informações, você deve estar se perguntando o motivo de Petrópolis ser conhecida como a Cidade Imperial, não é?! Pois bem, iremos te contar agora.

A História de Petrópolis, a Cidade Imperial:

Petrópolis nasceu no começo do século XIX, mais precisamente durante o ciclo do ouro, onde servia como cidade apoio para tropeiros e viajantes, que faziam o trajeto Rio de Janeiro – Minas Gerais.

Durante essas viagens de Imperador D. Pedro I, ele costumava se hospedar junto com sua família, pela região serrana, já que se interessava pelo clima mais ameno combinado com as paisagens naturais. Foi então, que construiu a Fazenda do Córrego Seco, para construir o Palácio da Concórdia, onde eventualmente tornou-se a sua residência de verão.

Em meado do século XIX, D. Pedro I abdica ao trono, volta para Portugal, mas deixa de herança a D. Pedro II as terras da fazenda. Cerca de 12 anos mais tarde, em 1843, o imperador atual concede as terras para o Major Julio Frederico Koele, para então estabelecer uma população naquela região e construir o oficial Palácio de Verão. Então Koeler monta um projeto ecológico, o objetivo era construir casas em frente aos rios preservando toda a vegetação nativa. Em 1845, D. Pedro II e o Major, passam a chamar os imigrantes alemães para ali morarem, onde contribuíram para a construção efetiva da cidade.

A sede do Governo, durante a temporada de verão (que diga-se de passagem era bem longa, durando em torno de 6 meses), era em Petrópolis, o que acabou atraindo além de mais pessoas da nobreza, os intelectuais, empresários e diplomatas da época, que construíam ali as mansões.

Tempos mais tarde, com o intuito de uma vida melhor, outros imigrantes como italianos, franceses, libaneses e sírios também passaram a povoar a cidade, transformando-a em um destino além de empreendedor e promissor, muito rico em diversas culturas, história e gastronomia.

E então, pode-se dizer que graças à incrível combinação do clima ameno, construções e bagagens históricas, vegetação abundante e uma rica gastronomia, que Petrópolis tornou-se ao longo dos anos, uma das principais cidades turísticas do Brasil, entrando para a lista do Ministério do Turismo como um dos 64 Destinos Indutores do Desenvolvimento Turístico Regional do país.

Deu pra sentir o gostinho da cidade? Então pegue uma caneta e um papel, em vamos às dicas para montar o seu roteiro.

Principais atrações turísticas de Petrópolis:

Museu Imperial: A residência de verão de D. Pedro II, – o Palácio Imperial de Petrópolis -, virou um museu, onde atualmente está um dos mais importantes arquivos históricos do país, que temos a oportunidade de conhecer de perto a história tanto da família imperial quanto do Império no Brasil, além de claro observar um rico acervo com cômodos originais, a coroa do Imperador, objetos pessoais, esculturas, livros, quadros, documentos, fotos, vestuários, acessórios, armas e muitos mais. É um passeio realmente incrível e muito enriquecedor.

  • Valores: Inteira: R$10,00 / Meia: R$5,00
    Estudantes, professores e maiores de 60 anos: R$ 5,00
    Moradores de Petrópolis, às quartas-feiras e no último domingo do mês: gratuito;
  • Visitação: de terça a domingo, das 10h30 às 18h;
  • Bilheteria: de terça a domingo, das 10h às 17h;
    Jardins: de terça a domingo, das 7h às 17h30;
  • Atendimento nos setores técnicos: de segunda a sexta, das 13h30 às 17h30, e na parte da manhã, mediante agendamento prévio;
  • Reservas: (24) 2245-7735. Agendamento para o evento Som e Luz: (24) 2245-4668;
  • Endereço: Rua da Imperatriz, 220. Tel: (24)2237.8000. Fax: (24)2237.8540;
    Para informações mais detalhadas, acesse o site do Museu Imperial.

Palácio Amarelo: Entre 1894 e 1897, foi construído em uma das áreas mais nobres de Petrópolis da época, o Palácio Amarelo, na praça Visconde de Mauá. O palacete já serviu como casa de verão de diversos habitantes sazonais nobres da cidade, atualmente servindo como sede da Câmara Municipal de Petrópolis. Diversos artistas renomados contribuíram por essa construção tão incrível e rica em detalhes.

  • Valores: grátis
  • Visitação: Segunda a domingo das 10h as 17h
  • Endereço: Praça Visconde de Mauá, 89 – Tel. (24) 2291.9200

Palácio de Cristal: A construção de ferro fundido inspirada no Palácio de Cristal de Londres e no Palácio de Cristal do Porto, foi pré-montada na França em 1884, por encomenda de Conde D’Eu, para presentear a Princesa Isabel, com a finalidade dela cultivar as suas hortaliças. Tempos mais tardes o local serviu para abrigar exposições agrícolas. No ano de 1998 o Palácio foi restaurado, as parede que eram de cristais viraram de vidro laminado, porém o piso e a estrutura de ferro continuaram originais. Atualmente o local utilizado para diversas exposições e eventos de Petrópolis.

  • Valores: R$ 5,00 – Estudantes e maiores de 60 anos a 64 anos: R$2,50. Crianças até 6 anos e maiores de 65 anos: gratuito;
  • Visita Guiada: terça à domingo, das 9h às 18h;
  • Horário de Funcionamento: Terça à domingo das 9h às 18h;
  • Endereço: Rua Alfredo Pachá, s/nº – Centro.

Palácio Rio Negro: Construída em 1889 por Barão do Rio Negro, onde seria o seu Palácio de Verão, porém em apenas 7 anos depois, o local foi vendido ao Estado do Rio de Janeiro, para ser utilizada como a residência oficial do governante. E então, em 1903, o Palácio passou a ser do Governo Federal, onde servia como a residência oficial de verão dos presidentes da República. No ano em que completou 100 anos na função oficial do governo, o local foi reinventado, e passou a servir como a moradia da presidência do Brasil. Atualmente o Palácio é praticamente inutilizado, tendo como o seu último hóspede o ex-presidente Lula, na época em que exercia o cargo.

  • Valores: Gratuito;
  • Visita: Somente externa;
  • Horário de Funcionamento: Quinta à sábado das 10h às 17h;
  • Endereço: Av. Koeler, 255. Tel: (24) 2246.9380.

Catedral de São Pedro de Alcântara: É nessa Catedral de estilo neogótico francês, que está a Capela Imperial, onde ficam os túmulos de D. Pedro II, Da. Maria Teresa Cristina, Conde D’Eu e Princesa Isabel. Além de ser histórica, é uma igreja lindíssima. Visita imperdível!

  • Valores: Para visitar a Torre, é cobrado uma taxa de R$8,00. Idosos de 60 a 64 anos e estudantes de escolas privadas o valor é de R$4,00. Gratuito para estudantes de instituições públicas de ensino e maiores de 65 anos. – Moradores de Petrópolis: entrada franca toda quarta-feira e terceiro domingo de cada mês, mediante apresentação de RG e comprovante de residência.
  • Horário de Funcionamento: Visitação à Catedral: diariamente, das 8h às 18h. – Visitação à Torre: Terça a Sábado de 11h às 17h. Domingo de 13h às 15h.
  • Endereço: Rua São Pedro de Alcântara, 60 – Telefone: 24 2242-4300 – Fax – 24 2242-4300.

Casa de Santos Dumont: Um dos intelectuais que aderiu uma casa em Petrópolis foi o Pai da Aviação, Santos Dumont Em 1918, decidiu construir a sua única propriedade, no estilo alpino, no Centro Histórico da cidade. Também chamada como ” A Encantada”, depois de sua morte, seus sobrinhos doaram a casa para a prefeitura da cidade, com o objetivo de construir uma instituição que mantivesse suas histórias e memórias. Então, em julho de 1952, o IPHAN tombou a casa, inserindo na lista de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. A casa conta com 3 andares, um observatório no telhado, não possui divisórias entre os cômodos e nem cozinha (já que ele só pedia comida delivery), tem também uma de suas últimas invenções – o chuveiro com água quente, que diga-se de passagem era o único naquela época sendo aquecido por álcool – e o mais interessante, é que “A Encantada” possui uma escada externa onde só se pode subir começando com o pé direito e uma escada no seu interior onde só é possível começar a subir com o pé esquerdo. E pra finalizar, anexado à casa tem o Centro Cultural 14 bis, onde podemos assistir a um curta metragem sobre Santos Dumont.

  • Valores: R$ 5,00. Estudantes e idosos de 60 anos a 64 anos: R$ 2,50. Criança até 6 anos e maiores de 65 anos: acesso gratuito;
  • Idiomas disponíveis para visitação guiada: Português, inglês e espanhol;
  • Horário de Funcionamento: Terça à domingo das 9h30 às 17h;
  • Endereço: Rua do Encanto, 22. Tel. (24) 2247-3158.

Ecoturismo em Petrópolis:

Sabe o melhor de tudo? A cidade não possui apenas atividades turísticas históricas. Muito pelo contrário, podemos explorar de diversas maneiras a natureza dessa região, ao fazer uma viagem por Petrópolis. Veja só:

Parque Nacional Serra dos Órgãos: Essa é uma importante unidade de conservação, que abrange uma área com mais de 20 mil hectares, abrangendo os municípios de Guapimirim, Magé, Petrópolis e Teresópolis. Portanto, a nossa dica é você separar pelo menos um dia para aproveitar as suas melhores atrações.

    • Trilha do Morro Açú: Essa é uma das trilhas mais difíceis do Parque Nacional Serra dos Órgãos, já que para percorrê-la é preciso andar por 8 km com diversos obstáculos e inclinações, para admirar a linda paisagem do cume. Sugerimos ir no final da tarde para observar o pôr do sol e o céu estrelado do começo da noite. Mas é importante lembrar que esse passeio exige de um bom preparo físico e equipamentos de trilha para evitar perrengues.
    • Circuito das Bromélias: Localizada no bairro do Bonfim, esse é o lugar ideal para curtir a natureza e aproveitar as águas das cachoeiras do caminho. O percurso é considerado leve, demorando em torno de 1 hora, onde chegar até Poço Paraíso, Poço das Bromélias e Poços dos Primatas. É cobrado um valor de R$ 16 para turistas e apenas R$ 3 para residentes de Petrópolis.
    • Pico do Dedo de Deus: Esse é um famoso símbolo do estado do Rio de Janeiro, que está figurado até na bandeira e no brasão. Com 1692 metros de altitude, e com um contorno que parece uma mão apontando para o céu, podemos admirar uma paisagem emocionante, onde é possível ver até a cidade maravilhosa por trás da ponte Rio-Niterói.

O parque funciona todos os dias, das 8h às 17h.

Pico do Dedo de Deus

Vale do Amor: Por aqui temos um santuário bem no meio das montanhas da cidade, que está aberto para todas as religiões e crenças. É incrível, pois lá você encontrar  diferentes tradições, além de se conectar com a natureza e a paisagem de tirar o fôlego. O local fica na Fazenda Inglesa, que funciona todos os dias das 8h às 17h, onde é cobrado um valor de R$ 7 por pessoa.

Cachoeira do Treze: Esse local imperdível fica bem na serra, no caminho entre Petrópolis e Teresópolis. Para explorá-la, é preciso estacionar o carro em uma área reservada, caminhar cerca de 5 minutos para observar os primeiros poços e um pouco mais a frente chegar na enorme queda, que proporciona uma energia única.
Caminhos do Brejal: Localizado pelas redondezas de Itaipava – cerca de 50 minutos do Centro Histórico de Petrópolis – , esse é um circuito com 19 propriedades rurais de diversos segmentos. Por aqui podemos desbravar e conhecer de perto produções orgânicas de produtos como ervas, verduras e plantações de flores por exemplo, além de fazer degustações e saber um pouco mais sobre as rotinas dos agricultores.

Vale das Videiras: Essa dica é especial para os bikers de plantão. Sabemos que trilhas para desbravar de bicicleta é que não falta na cidade, mas se for para escolher uma, o Vale das Videiras é a nossa dica. Nessa região, podemos explorar inúmeras trilhas com  poços, cachoeiras e paisagens de tirar o fôlego. Para que não é adepto ao ciclo turismo, mas se interessou pela trilha, não se preocupe, pois lá existe toda uma infraestrutura oferecido pelo Galpão Caipira, onde oferecem bikes novas, dicas para o percurso, restaurante, armazém, spa e até uma pousada.

Não deixe de fazer também:

  • Travessia Petrópolis x Teresópolis;
  • Caminhos do Brejal;
  • Explore as trilhas do Parque Nacional da Serra dos Órgãos
  • Voo de parapente do Alto do Morin;
  • Conheça os castelos de Petrópolis;
  • Dê uma volta pelas margens do lago do Palácio Quitandinha;
  • Procure os 7 erros da Casa da Ipiranga;
  • Vá até o Palácio Quitandinha – construído em 1944 para ser o maior hotel cassino da América Latina da época;
  • Ir até o Castelo Medieval que atualmente é o Museu de Armas Históricas Ferreira da Cunha;
  • Campo de Aventura (arvorismo, paintball, tirolesa, muro de escalada, entre outras atividades no meio da natureza – perfeito para levar as crianças);
  • Cavalgada no Vale do Cuiabá;
  • Observe o pôr do sol no Parque São Vicente;
  • Faça a trilha do Morro dos Palmares;
  • Conheça à fundo a história de Petrópolis no Museu do Colono;
  • Passe um dia na Pousada Paraíso.

Malas prontas? Compartilhe com a gente as suas dicas de Petrópolis também ;).

Tags: , , , ,
Newsletter Inscreva-se na newsletter e receba gratuitamente todas as novidades do blog!

• Faça um comentário deste assunto •

Posts Relacionados