O paraíso está nas Ilhas Marshall

27 abril, 2018
Autor: Redação

Já deu pra perceber que lugares paradisíacos com histórias superinteressantes não passam batido por aqui, né?! Dessa vez falaremos de um destino maravilhoso no meio do Oceano Pacífico, que é um verdadeiro parque de diversões para os mergulhadores. Entre aqui e conheça tudo sobre as Ilhas Marshall e saiba como planejar uma viagem até lá!

As Ilhas Marshall é um país de 181 km quadrados de extensão localizado na Oceania. As ilhas consistem em 29 atóis e 1.152 ilhas de calcário de coral, que são divididas em duas partes, uma oriental chamada de Grupo Ratak – nascer do sol em marshalês – e a outra no ocidente chamada Ralik – que significa o pôr-do-sol -. A sua capital é Majuro, sendo o atol mais conhecido e populoso, tendo dois terços da população habitados lá.

Embora haja vestígios que seus primeiros povoados foram os micronésios, no segundo milênio a.C., pouco se conhece dessa época. Porém, foi em 1526 que o primeiro Europeu, o espanhol Alonso de Salazar, avistou as Ilhas Marshall, mas só em 1788, depois da chegada do inglês John Marshall que ela foi povoada novamente.

Entre tantas guerras, brigas por terras e lugares sendo utilizados como testes de bombas nucleares, principalmente na Segunda Guerra Mundial, Marshall Islands alcançou finalmente sua independência em 1986, depois de quase 4 décadas sob domínio dos Estados Unidos. Essa liberdade veio após muita reivindicação, devido aos resultados negativos que os testes nucleares de 1947 a 1962 causaram nas terras, onde milhares de habitantes foram afetados, e ainda diversas ilhas são de acesso proibido, devido à presença de militares americanos e resíduos dos testes – como no Atol de Bikini por exemplo, onde todos os alimentos de sua origem possuem grandes níveis de radiação.

O dólar é a moeda oficial do país, e as línguas são o marshalês e o inglês. Mesmo sendo carregada de histórias não tão fáceis, as Ilhas Marshall é um lugar paradisíaco, e muito hospitaleiro. Temos certeza que você se encantará também.

Sem contar em tamanha beleza que a natureza oferece, são mais de 180 espécies diferentes de corais, milhares de espécies de peixes, golfinhos, baleias e botos, o que torna um lugar mais especial ainda, quando é visto do fundo do oceano.

Vale lembrar que o destino está na lista dos países menos visitados do mundo, com uma média de apenas 5 mil turistas por ano, ou seja, é um lugar inusitado, porém com pouca estrutura para receber seus visitantes.

Pontos turísticos das Ilhas Marshall:

Ebeye Island – Com 80 hectares, 15 mil habitantes e uma hospitalidade única, é lá que está localizado o maior centro cultural de todas as Ilhas. Por lá encontramos exatamente tudo sobre a história dos mashaleses. O ideal é ficar a tarde toda descobrindo cada interessante mistério desse lugar. Lá também encontramos alguns restaurantes de comidas típicas micronésias, vale a pena experimentar.

Atol Maloelap – Esse é um distrito do país, que é composto por 75 ilhas, em uma área de 979 km². Esse atol foi responsável pela primeira ratificação feita nas ilhas, sendo mira da muitas pesquisas realizadas pela UNESCO. O lugar possui cerca de 900 habitantes e possui uma beleza natural indescritível.

Arno Atoll – O atol com mais de 130 ilhas, formando um distrito em uma área de 13 km², possui 3 lagos diferentes, que são indispensáveis de conhecer, seus tamanhos, formas e cores chamam atenção de quem passa por ali, sem contar em suas praias paradisíacas. São mais de 2 mil habitantes, na região que atualmente faz parte do Território Fiduciário das ilhas do Pacífico.

Alele Museum – Um museu com todos os tipos de informações da cultura do pais. Lá conhecemos a fundo a história, com um grande mostruário de peças, artefatos e coleções de artistas locais que reformulam todo o histórico desse lugar tão especial.

Dicas imperdíveis:

  • Como falamos, a infraestrutura não é das melhores, porém as paisagens naturais compensam tudo, dê uma chance!;
  • Faça o passeio de barco para mergulhar nos corais, com os melhores marinheiros do mundo;
  • Dê prioridade às ilhas mais afastas;
  • Essa região é muito suscetível a tufões e furacões, porém eles acontecem sem muita previsão, a dica é acompanhar televisões e rádios, e também registrar a sua presença na Embaixada local;
  • Antes de embarcar nessa aventura, você deve tomar as seguintes vacinas: Hepatite A e B/ Tifóide/ doses de tétano e difteria/ Tuberculose;
  • Acorde cedo, a vida por lá começa logo que o sol nasce;

Onde ficar?

Melhor época para ir:

O clima predominante nas Ilhas Marshall é úmido e quente, porém a época mais chuvosa acontece entre maio a novembro, o ideal é evitar esses meses, principalmente por causa dos furacões e tufões.

E aí, quem encara mais uma aventura como essa?

Nós por aqui já estamos nos planejando!!!

Newsletter Inscreva-se na newsletter e receba gratuitamente todas as novidades do blog!

• Faça um comentário deste assunto •

Posts Relacionados