Pin TPO Tudo sobre a viagem de Andrea D’Andrea em Israel e Jordânia

28 janeiro, 2019
Autor: Redação

A Relações Públicas de 33 anos, Andrea D’Andrea fez uma super viagem pra lá de especial para Israel e Jordânia, lugares tão próximos mas tão distintos ao mesmo tempo. As cidades escolhidas para conhecer de perto foram; Jerusalém e Tel Aviv, em Israel e Petra e Mar Morto, na Jordânia.

Tivemos o enorme prazer de receber tudo sobre essa experiência única, por aqui. Com todas as dicas, sugestões de restaurantes, passeios e até o que levar na mala em cada destino. Entre aqui e acompanhe também!

TPO – O que te inspira e te move na busca de novos destinos e viagens?

ANDREA: Para mim, viajar é sem duvidas a melhor experiência que a vida pode proporcionar, sair da casinha, da sua zona de conforto ou mesmo da bolha em que vivemos. Viajar te permite sonhar, olhar para o mundo com os olhos da alma, não existe nada mais gratificante do que aquela sensação de estar em um lugar pela primeira vez, aquela euforia de querer que o dia tenha mais do que 24hrs. Cada instante é uma surpresa e uma nova historia para contar. Com certeza as paisagens lindas por qual você passa te inspiram de uma forma especial, mas não é só isso, amo conhecer pessoas de culturas diferentes, hábitos diferentes. Meus destinos preferidos são sempre os com muita riqueza de cultura e que permitam abrir meus horizontes.

TPO – Qual foi o melhor conselho que já recebeu sobre “viagens”?

ANDREA: Eu não consigo me lembrar de nenhum agora, mas gostaria de deixar um para vocês. Viver cada viagem de coração e mente abertos, cada experiência é única.

TPO – Depois de já ter conhecido e desbravado alguns destinos, o que ainda te assusta?

ANDREA: Eu particularmente tenho alguns medos, mas acho que sem duvidas o fato que mais me assustaria em viagens seria ficar doente ou passar por alguma situação que te limite a aproveitar 100% , por isso eu levo sempre meu kit farmácia, especialmente quando o destino é exótico demais. Outro medo é perder meu passaporte ou ficar sem cartão de credito, sempre deixo guardado no hotel trancado a sete chaves, kkkk.

TPO – Playlist da Trip:

ANDREA: Não teve nenhuma em especial, sou alucinada por musica e ouvimos um pouco de tudo até musica árabe.

TPO – O que não pode faltar nessa mala?

ANDREA: Jerusalém é uma cidade muito religiosa então não pode faltar na mala lenços/pashminas e roupas mais reservadas, por uma questão de respeito não é apropriado usar peças curtas ou transparentes em alguns locais. Já em Tel Aviv, cidade de praia mais descolada de Israel, pode ficar a vontade para usar o que quiser, descobrimos que é o destino dos judeus menos religiosos no país. Na Jordânia quando visitar Petra, recomendo usar uma roupa confortável e tênis, pois a caminhada é bem intensa.

TPO – Como você chegou lá?

ANDREA: Nosso trajeto foi São Paulo – Istambul pela Turkish, de lá pegamos um vôo direto para Tel Aviv que durou umas 2 horas. Tínhamos ouvido falar que a imigração em Israel era bem complexa, mas nos surpreendemos positivamente, porque foi super tranquilo como em qualquer outro lugar, com todas as formalidades e etc. Alugamos um carro e nos aventuramos pelo país, o que também nos surpreendeu bastante, Israel é muito seguro e desenvolvido, existem vistorias pelas estradas mas tudo muito tranquilo. Acho que fomos paradas umas duas vezes, pediram nossos passaportes e olharam nosso porta malas. Fizemos a travessia para Jordânia via terrestre, cruzamos a fronteira a pé, não é permitido atravessar de carro. Foi uma aventura e tanto. Entrando na Jordânia na cidade de Aqaba pegamos um taxi até a locadora que tínhamos alugado outro carro e seguimos para Petra. Sentimos a diferença de um país para o outro de imediato, Jordânia tudo é mais arcaico e menos desenvolvido.

TPO – Mala de rodinha ou mochilão?

ANDREA: Eu não curto viajar de mochilão, prefiro as malas de rodinha sempre.

TPO – O que não dá pra perder?

ANDREA: Essa pergunta é muito difícil de responder, por que eu diria que praticamente tudo em Israel e Jordânia é imperdível. Jerusalém é sem duvidas um dos lugares mais marcantes que já visitei em toda minha vida, é mágico cheio de historias e encantos, tem que conhecer cada cantinho dessa cidade e recomendo estudar um pouco antes de ir para não ficar muito perdido. Na Jordânia, Petra é parada obrigatória, sabe aquela sensação de estar vivendo dentro de um filme? Diria que é bem isso, é surpreendente. Fazer o tour “Petra by Night”, não tenho palavras para descrever a sensação.

TPO – Onde e o que comer?

ANDREA:

RESTAURANTES em Jerusalém: 

  • Satya – comida mediterrâneo;
  • The Culinary Workshop – badalado;
  • Macheyuda – the best in town, só com reserva;
  • Azura – mais simples e muito bom;
  • Almoçar no Mamila Mall no Café Rimon;
  • Eucalyptos;
  • Mona;
  • Mamilla Rooftop (mais carinho);
  • Mamilla Mall (tem vários)
  • Luciana italian;
  • Zuni.

RESTAURANTES em Tel Aviv:

É a cidade mais gastronômica do país, oferece diversas opções veganas e veggies.

  • Popina – em Neve Tzedek;
  • Alena – fica no The Norman Hotel (pedir focaccia);
  • Zepra e Taizu (asiáticos);
  • Mashya (mediterrânea);
  • Montefiore (no hotel Montefiore, badalado);
  • Claro (jovem);
  • Café Noir (bistro);
  • Shila (hotspot);
  • Speakeasy* bar em rooftop;
  • Melhor sorveteria “Anita”.

TPO – Onde se hospedou?

ANDREA: Em Tel Aviv decidimos ficar hospedados na praia, era “Rosh Hashaná” o ano novo judaico e a cidade estava em festa, a orla da praia é cheia de barzinhos descolados e gente linda andando de bike pelo calçadão. Ficamos no Carlton, fomos muito bem recebidas pelo gerente geral do hotel que ainda nos deu um upgrade de quarto. No rooftop do hotel tem uma piscina super gostosa com a vista mais incrível do por do sol. Outra opção boa seria ficar no Hilton que fica quase ao lado, e tem o bar mais descolado da praia. A pouco tempo inaugurou o The Setai, porém ele está localizado na outra ponta da praia um pouco menos movimentada, mas certamente uma ótima opção também. Se você optar em ir no inverno, recomendo ficar hospedado no centro de Tel Aviv no The Norman Hotel, dizem que é incrível e tem um restaurante super cool no rooftop, não conseguimos ir, mas fica a dica.

Em Tel Aviv é muito complicado estacionar carro na rua, todas as vagas são de uso exclusivo de moradores, descobrimos isso após levar uma multa. Se sair para jantar recomendo ir de taxi ou a pé.

Em Jerusalém ficamos hospedados no hotel Harmony, fica no centrinho super bem localizado, tinha um brunch toda tarde, bem gostoso. O quarto era ótimo e com tamanho ideal para duas pessoas. Outra opção muito boa é o Hotel Mamilla.

Em Petra não existem muitas opções de hotel, então com toda certeza o Mövenpick é a melhor de todas, além de ser um hotel super charmoso e ao lado da entrada do parque da cidade. O quarto é enorme e no hotel tem 3 opções ótimas de restaurantes.

No Mar Morto optamos também em ficar no Mövenpick, o hotel oferece tudo que você pode imaginar, porém achamos um pouco grande demais, do quarto até a praia era uma viagem literalmente. Mas sem dúvidas o melhor serviço hospitaleiro da viagem, fizemos amizade com o gerente geral que nos ofereceu milhares de coisas, além de um super upgrade de quarto. Foi incrível. Se quiser outra opção tem o Kempinski, logo ao lado.

TPO – Em qual época do ano você escolheu ir para esse destino?

ANDREA: Resolvemos ir em setembro, que foi na verdade meio sem pesquisa e demos muita sorte. Pegamos muito calor durante o dia e a noite mais fresco. foi perfeito. E ainda pegamos o ano novo judaico em Tel Aviv o que foi maravilhoso, a cidade estava cheia e super badalada.

TPO – Fatos engraçados:

ANDREA: Diria que fomos muito sortudas durante essa viagem, em mais de uma ocasião fomos surpreendidas por pessoas incríveis. Abastecendo o carro no nosso último dia em Israel rumo a Jordânia, estávamos contando as últimas moedas de Dinars que tínhamos, quando um moço se aproximou olhou a situação e disse “essas moedas não vão dar e deu uma risada” e pagou a diferença que faltava. Nesse mesmo dia fomos devolver o carro na locadora e perguntamos como fazíamos para chegar até a divisa para cruzar a fronteira, e mais uma vez mega surpreendidas com o jeito solícito dos israelenses, o moço da locadora nos levou sem cobrar nada. Por sorte tínhamos uma garrafa de vinho e demos de presente, ele ficou super feliz. E ainda em Israel, em uma outra situação, estávamos tentando pagar um estacionamento naquelas máquinas e tudo escrito em hebraico, chegou uma menina e pagou para gente. Enfim sem palavras, né?! Povo maravilhoso.

TPO – Cereja do bolo:

ANDREA: Uma parte muito especial e única ficou para o fim da viagem, o Mar Morto. Programas obrigatórios, boiar no mar que você não afunda de jeito nenhum, dá ate uma sensação estranha mas vale a pena. E outra imperdível é fazer o banho de lama que é um super hidratante natural.

Para os mais religiosos, o batismo no rio Jordão é muito especial, vai ficar guardado para sempre na memória. O local é sagrado, você faz um tour antes onde Jesus foi batizado e termina entrando no rio, experiência incrível.

Galeria da fotos de Andrea em Israel e Jordânia:

Newsletter Inscreva-se na newsletter e receba gratuitamente todas as novidades do blog!

• Faça um comentário deste assunto •

Posts Relacionados