Pin TPO Tudo sobre o Parque Estadual de Vila Velha, no Paraná

8 agosto, 2019
Autor: Redação

A região sul do nosso país, não é tão explorada quanto merecia, principalmente o estado do Paraná, um lugar riquíssimo em paisagens naturais deslumbrantes. Por isso, viemos aqui para incentivar mais um turismo importante do Brasil: o Parque Estadual de Vila Velha.

Entre aqui e saiba quais são as suas atrações!

O Parque Estadual de Vila Velha é a principal atração turística de Ponta Grossa, que está localizada na região dos Campos Gerais, a 100 km de Curitiba, a capital do Paraná. Ele foi criado em 1966, pelo Departamento do Patrimônio Histórico e Artístico do estado, com o intuito de proteger os 18 km² de formações rochosas, que foram classificadas como um dos sítios geológicos brasileiros pela SIGEP, e conta com esculturas naturais enormes que foram esculpidas há milhares de anos, com ações de ventos e chuvas, e que lembram muito uma cidade medieval, – por isso o seu nome -.

Por lá, podemos desfrutar da natureza, através de trilhas bem sinalizadas e uma fauna bem variada, com aproximadamente 300 espécies diferentes, entre répteis, aves e mamíferos, como por exemplo: jaguatiricas, tatus, araras, lobo-guarás, veados, onça-pardas e bugios, que vivem livremente em seu habitat natural.

Para conhecer o local, a sugestão é chegar cedo, já que há um limite de 800 pessoas para entrar por dia. Os horários de visitações são das 8h30 às 15h30 de quarta à segunda – às terças o parque é fechado para manutenção – sendo até as 17h30 o limite de permanência no local. Além disso, para as visitações nas segundas, quartas e quintas-feiras é preciso fazer um agendamento prévio. Vale lembrar também, que a entrada depende muito das condições climáticas favoráveis, caso não estejam, o parque é temporariamente fechado.

Os ingressos do parque vão de R$ 8,00 a R$ 18,00 por pessoa (brasileiros), dependendo de cada atração. Aconselhamos também fazer a visitação com auxílio de um guia especializado, para que ele mostre todos os entretenimentos naturais disponíveis. Para contratá-los é simples, basta solicitar o serviço na entrada do parque. Porém, é cobrado uma taxa a mais por pessoa.

Atrações do Parque Estadual de Vila Velha:

O parque é dividido em 3 partes: Formações de Arenitos, Furnas e Lagoa Dourada.

Arenitos: Os arenitos são as formações rochosas, geradas por areias e ações naturais, há milhares de anos. Para acessar a área é muito tranquilo, pode ser a partir de uma trilha de 2.600 metros, que pode ser percorrida caminhando ou de ônibus, que estão disponíveis no próprio parque, saindo a cada 40 minutos. Os arenitos tem em torno de 30 metros de altura, e os seus formatos lembram ruínas de castelos e torres.

Furnas: São crateras imensas, algumas até com mais de 100 metros de profundidade, que também foram formadas pela ação da natureza há milhares de anos, cercadas por vegetação e água em seu interior. Para visitá-las é preciso pegar um ônibus do parque, que parte da central de visitantes, e demora em torno de 15 minutos até o local. Para as visitações, apenas 3 delas estão disponíveis, porém há dezenas delas pela área do parque.

Lagoa Dourada: Fazendo parte do passeio das furnas, a Lagoa Dourada, que ganhou esse nome devido à sua cor amarelada quando o sol se põe, possui 320 metros de diâmetro e uma profundidade de 3 metros. Suas águas são ligadas com as Furnas, que chegam até lá através dos lençóis freáticos. Para acessá-la é preciso pegar o ônibus do parque novamente, para chegar até o ponto final do passeio. Uma curiosidade, é que essa lagoa, a milhares de anos atrás era uma das crateras das furnas, porém com a ação natural, ao passar do tempo ela foi se transformando, até essa formação atual.

Trilha da Fortaleza: Esse passeio é bastante procurado por quem curte fazer trekking, principalmente no meio da natureza. São 16 km de trilha, percorrendo áreas primitivas do parque. Porém, ele só acontece uma vez ao mês, e é cobrado um valor de R$ 40,00 por pessoa.

Cicloturismo: Esse passeio também acontece uma vez ao mês, e percorre uma trilha de 21 km pelas estradas internas do Parque. Para participar, é cobrado uma valor de R$ 30,00 por pessoa.

Caminhada noturna: Aventureiros de plantão, esse passeio é pra vocês! Em um percurso de 5 km, com uma duração de 4 horas, as trilhas noturnas são feitas em noites de Lua Cheia e Lua Nova, em datas já pré-definidas. É cobrado um valor e R$ 60,00 inteira e R$ 30,00 meia, – para estudantes, doadores de sangue, moradores dos municípios da região de Campos Gerais e funcionários públicos -.

Lembrando que esses passeios especiais exigem um agendamento prévio, que pode ser feito através do e-mail agendamento.trilhas.pevv@gmail.com ou pelo telefone (42) 99955-3503.

O Parque possui uma infraestrutura de primeira, com estacionamento, lanchonete, banheiros e loja com souvenirs.

O que levar?

  • Bone/chapéu;
  • Tênis para trekking;
  • Bastão de trekking;
  • Roupas leves;
  • Protetor solar;
  • Snacks;
  • Água.

Não esqueça de levar embora tudo o que consumir, combinado?! Nada de deixar lixo por aí.

Como chegar no Parque?

O aeroporto mais perto de Ponta Grossa, é o de Curitiba, portanto a maneira mais rápida de conhecer o parque, é de avião, e assim alugar um carro e pegar a BR-376, levando um tempo de aproximadamente 1 hora de viagem. Há também a opção de ir de ônibus, pelas viações Princesa dos Campos e Campos Gerais. Lembrando que o parque está localizado a 20 km do centro de Ponta Grossa.

Quando ir?

A melhor época para viajar à essa região do Paraná, é no outono, mais especificamente nos meses de abril e maio, que são quando as temperaturas ficam mais amenas, com máxima de aproximadamente 20°C e mínimas de 8°C, e com pouca chance de chuvas.

Porém, como dissemos ali em cima, é preciso lembrar que a visitação do parque deve ser feita logo pela manhã, para evitar contratempos na entrada, principalmente nos finais de semana. Além disso, de segunda à quinta-feira, a companhia de um guia é obrigatória para realizar os passeios.

 

Onde comer em Ponta Grossa:

Vida noturna:

Ponta Grossa:

Curitiba:

Onde se hospedar?

Ponta Grossa:

Curitiba:

Roteiro facinho de montar, né?! Então arrume as malas e conheça mais um destino incrível do nosso país. E falando em Paraná, por que não dar uma olhada no nosso post de Foz do Iguaçu, ele está completinho, só esperando a sua visita.

Tags: , ,
Newsletter Inscreva-se na newsletter e receba gratuitamente todas as novidades do blog!

• Faça um comentário deste assunto •

Posts Relacionados