Madagascar: Todas as dicas para você montar o seu roteiro

12 março, 2019
Autor: Redação

Eu me remexo muito, eu me remexo muito, remexo, muito!!! Só de ler essa letra, apostamos que lembrou do sucesso da Disney, não é?! Pois bem, hoje nosso post é especial desse destino, onde a maioria das pessoas conhecem apenas através do desenho animado. Madagascar é um lugar mágico e assim que você se aprofundar melhor, temos certeza que vai querer fazer as malas e desbravar esse paraíso na mesma hora.

Então desvende mais um destino surpreendente conosco!

Localizado no Oceano Índico, ao largo da costa sudeste da África, Madagascar é a maior ilha do continente africano e a quarta maior do mundo, sendo formada por diversas ilhas pequenas. São mais de 26 milhões de habitantes, que são chamados de malgaxes, tendo a língua malgaxe como a oficial e o francês como segunda língua. Embora o destino esteja apenas a 400 km da África, os malgaxeses tem características e costumes dos povos da Indonésia, que está localizada a 4.800 km de distância.

Antigamente o país fazia parte do continente, porém ao longo dos anos, ele foi separado naturalmente pelo canal de Moçambique, fato que favoreceu a conservação da sua fauna e flora, com uma biodiversidade rica e mais de 75% das espécies de plantas e animais que só podem ser encontradas no país, nunca sendo vistas em qualquer outro lugar do mundo. Sendo habitat natural de lêmures, camaleões de diversas cores além de aproximadamente 300 espécies de répteis. O país também conta com cadeias de montanhas vulcânicas, florestas tropicais úmidas, penhascos de arenito, mais de 6 mil espécies de plantas diferentes, árvores gigantes, 930 tipos de orquídeas e muito mais.

Madagascar basicamente é dividida em 6 regiões, com variadas paisagens e ecossistemas, sendo Norte, Leste, Sul, Oeste, Centro e Nosy Be e seus arredores, e para cada região há diferentes atrações e características.

Principais atrações de Madagascar:

Rova: Um palácio, também considerado como uma fortaleza, que está no topo de uma colina em Ambohimanga. As paredes externas foram construída com cimento feito de areia, conchas e claras de ovos – sendo necessários aproximadamente 16 milhões de ovos para a construção -. Em seu interior existem dois palácios, o Palácio Tradicional, construído em 1788, que pertencia ao todo poderoso Rei Merina Andrianampoinimerina, e o Palácio de Verão, que foi construído em 1828 e pertencia a Rainha Ranavalona. Até hoje, Ambohimanga é considerada sagrada por muitos malgaxeses, e por isso, você encontrará diversas oferendas, como chifres de zebu, sangue, doces e mel, que fazem partes de rituais para trazer sorte e fertilidade.

Noyse Be: Mesmo tendo a praia mais cobiçada de Madagascar, a ilha ainda permanece exclusiva e discreta, esse é o local onde os valores de hotéis e restaurantes são os mais altos. Em Noyse Be tem alguns pontos turísticos indispensáveis, como: Lemuria Land, Andilana, a Árvore sagrada de Banyan, a Reserva Marinha de Nosy Tanikely, Parque Nacional de Lokobe e Ambondrona.

Parque Nacional d’Ankarafantsika: Localizado na região de Boeny, o Parque Nacional que conta com mais de 130 mil hectares é uma opção perfeita para admirar paisagens naturais belíssimas e a vida selvagem da ilha. São 8 circuitos atravessando florestas densas, com trilhas, cânions e até caminhadas noturnas, que devem ser feitos com a presença de um guia especializado do parque. A melhor época para observar os animais, como lêmures e pássaros por exemplo, é durante o inicio da estação chuvosa, que vai de dezembro a abril, que é o período em que a chuva está relativamente mais leve.

Plantações de Millot: Essa é uma plantação de 15 quilômetros quadrados, fundada em 1904, de uma das principais produtoras de cacau, especiarias e óleos essenciais orgânicos, e pode ser visitada em forma de um passeio super bacana, pois além de informativo, onde sabemos como cada planta é cultivada, colhida e todo seus processos, o local também é um verdadeiro festival dos sentidos, tanto para admirar as belas paisagens, quanto para apreciar o cheiro natural dos produtos e saboreá-los. Millot emprega mais de 800 pessoas, sendo a maioria mulheres. Além disso, a plantação também ajuda a escola da aldeia, que é frequentada pelos filhos dos trabalhadores. Por lá, podemos desfrutar também de um almoço com pratos preparados com produtos locais, e de quebra uma sobremesa deliciosa, que é o bolo de chocolate com creme de baunilha, ou é possível também até passar uma noite por lá, nos diversos quartos da linda casa antiga da fazenda. Caso você esteja com um carro alugado, você consegue fazer esse passeio por conta própria, caso contrário, precisará contratar um guia do local para fazer toda a trajetória.

Ilha St. Marie: Também conhecida como Nosy Boraha, essa é uma das atrações mais populares na costa leste de Madagascar. A estreita ilha é famosa por suas águas azul-turquesa, tartarugas marinhas e aldeias de colmo. Os naufrágios do século 17 e o cemitério marcado com crânios e ossos, fazem da experiência ainda mais interessante e inesquecível.

Parque Nacional de Tsingy: Localizado na Região de Melaky, noroeste de Madagascar, esse é um parque todo ladeado por pedras calcarias, que também conta com cachoeiras, lêmures e florestas intocadas. O parque tem o título de Patrimônio Mundial da UNESCO e é um passeio imperdível para quem está no país.

Melhores praias de Madagascar:

  • Mangily Beach;
  • Foulpointe Beach;
  • Saint Mary Cap;
  • Itampolo;
  • Dunes Bay;
  • Nosy Be;
  • Nosy Tanikely;
  • St. Marie Island;
  • Nosy Londja;
  • Diego Suárez Bay.

Dunes Bay

Atividades:

  • Observar as árvores centenárias Baobás, elas são consideradas sagradas pelos locais, portanto não tire fotos sem pedir permissão antes;
  • Velejar nas águas azul-turquesa do oceano
  • Mergulhar com tubarões-baleia;
  • Explorar uma caverna virgem;
  • Fazer tour e safaris pela vida selvagem.

É interessante saber…

  • Madagascar é a quarta maior ilha do mundo;
  • O país só foi colonizado relativamente há pouco tempo – aproximadamente por volta de 500 dC;
  • O destino é um verdadeiro paraíso para os amantes da vida selvagem;
  • Muitas das suas espécies de animais são completamente estranhas, como por exemplo o aye-aye lemur, cujo dedo médio comprido ajuda a encontrar larvas escondidas dentro das árvore, ou o gorgulho de pescoço de girafa que possuí uma apêndice que ajuda a enrolar folhas em tubos para os ovos, e o rato gigante malgaxe que pode saltar até três pés de altura;
  • O destino possui diversos sítios que possuem o título de Patrimônio Mundial;
  • Madagascar é o 14º país menos feliz, em relação ao bem-estar das pessoas;
  • E também é um dos lugares mais pobres do mundo;
  • Porém, apesar da pobreza, o turismo de luxo já chegou no país;
  • Madagascar já foi um refúgio seguro para centenas de piratas.
  • Os homens e mulheres locais usam as mesmas vestimentas, a Lamba, roupa tradicional usada pelos ilhéus – homens e mulheres. É um comprimento retangular de pano enrolado em volta do corpo, onde diferentes desenhos são usados ​​para diferentes ocasiões.

Quando ir para Madagascar 

A melhor época para conhecer a ilha vai de julho a setembro, os meses mais quentes, com mais sol, menos aguaceiros e mais chances de se observar animais selvagens. A dica é evitar os meses de dezembro a maio, pois é o período com mais chances de ciclone pela região. Há muito para conhecer na ilha, portanto o recomendado é tirar pelo menos 2 semanas para fazer essa viagem.

Como chegar?

Para chegar em Madagascar, saindo do Brasil, é preciso fazer uma escala em Maputo em Moçambique ou em Joanesburgo na África do Sul, e então pegar outro voo até Antananarivo, a capital do país.

#DicaTPO: As melhores maneiras de se locomover pela ilha são, por excursões em safáris, podendo ser feitos com diversas agências de turismo, ou através de carro particular, com ou sem motorista.

As melhores hospedagens de Madagascar:

  • Carlton Madagascar;
  • Vanila Hotel And Spa;
  • Anakao Ocean Lodge;
  • Princesse Bora Lodge E Spa;
  • Constance Tsarabanjina.

É preciso saber…

  • A moeda oficial de Madagascar é a arígena malgaxe, porém o euro e o dólar são aceitos na maioria dos lugares;
  • Os malgaxeses são muito supersticiosos, portanto se informe bastante para não cometer nenhuma gafe ou até mesmo ofender algum local;
  • A maioria dos estabelecimentos esperam por uma gorjeta;
  • Mesmo sendo um dos países mais seguros da África, não é muito recomendado sair durante a noite;
  • Os nativos não falam inglês, então a comunicação pode ser um problema para sua viagem. Mas a boa notícia é que o francês é bastante falado na ilha, se você domina a língua, se sairá super bem;
  • A febre tifóide e a malária são prevalentes nas áreas rurais, portanto tome os devidos cuidados.

Malas prontas para a próxima aventura? Nós já estamos!!!

Tags: , ,
Newsletter Inscreva-se na newsletter e receba gratuitamente todas as novidades do blog!

• Faça um comentário deste assunto •

Posts Relacionados