Pin TPO Dicas de Roma: as principais atrações da capital da Itália

24 setembro, 2019
Autor: Redação

Estávamos ansiosas para esse post de Roma, a capital da Itália. Aviso aos nossos queridos viajantes, não conseguimos falar dessa rica e grandiosa cidade em apenas um texto, mas o que podemos adiantar, é: corre pegar um papel e uma caneta para anotar as nossas valiosas dicas, pois Roma tem muita coisa para se ver, sentir e contar, afinal não é à toa que ela é considerada uma das cidades mais importantes da história da humanidade.

Vamos lá?!

Capital da Itália, a maior cidade do país e a 4ª mais populosa da Europa, Roma conta com cerca de 2,8 milhões de habitantes, em um área de 1285,3 km². Um destino global, que carrega muita história em suas ricas, ruas e construções, ela é a décima cidade mais visitada do mundo e a terceira da União Européia.

Não é para menos, além do Centro Histórico de Roma, ser classificado como Patrimônio Mundial pela UNESCO, a cidade conta com os melhores “marcos” da Europa, museus, monumentos, obras e construções históricas. Pode-se dizer, que a sua fundação começou em 753 a.C, sendo uma das cidades mais antigas ainda ocupadas, na Europa, porém, há muitas evidências de que a ocupação humana no local, é de cerca de 14 mil anos atrás, e por isso, é chamada também como “A cidade eterna”.

Montar um roteiro para Roma não é uma tarefa nada fácil, por isso, vamos dividir em duas partes as nossas dicas, e colocaremos tudo o que é imperdível de se conhecer nessa viagem.

Vaticano:

Falar sobre Roma, e não falar do Vaticano é impossível, porém, seremos breves, pois as dicas das atrações estarão misturadas, ok?

Vaticano, para quem não sabe, é uma cidade-estado, também considerado como país,  que conta com a menor nação do mundo, com aproximadamente 800 habitantes e é sede da Igreja Católica Romana, – lembrando que, mesmo você não sendo católico, vale a visita tanto na cidade quanto em suas atrações-.

No Vaticano, só é permitido morar, padres, freiras, alguns dignitários, os Papas e os guardas – que em outro fato curioso, eles só devem ser suíços e católicos, devido ao saque de Roma em 1527, onde guardas da Suíça protegeram fielmente o papa, durante sua fuga para o Castel Sant’Angelo -. Esses mesmos guardas suíços, para protegerem o Vaticano, devem fazer um juramento de lealdade ao próprio Papa.

Curiosidades interessantes:

  • Mesmo sendo um “país” dentro de Roma, o Vaticano conta com selo, correio, bandeira e hino próprio;
  • Esse é o único país inteiro a ser reconhecido como Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO, desde 1984;
  • O Vaticano é considerado o país com maior criminalidade do mundo – 1,5 crimes por habitantes todos os anos. Portanto, cuidado com os batedores de carteira;
  • O Museu do Vaticano conta com um dos maiores acervos de obras de arte do mundo, sendo cerca de 70 mil, com apenas 20 mil delas sendo expostas ao público;
  • Nascer no Vaticano não garante cidadania. Para isso acontecer, é preciso trabalhar na cidade-estado – ou seja só os cardeais e os cavaleiros da Guarda Suíça.

Planeje sua viagem com as nossas dicas de Roma:

10 principais atrações turísticas de Roma:

Coliseu – Uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno desde 2007, e considerado o símbolo de Roma, o Coliseu é uma construção imponente que, com quase 2.000 anos de antiguidade, faz com que voltemos no tempo e descobrimos como era a antiga sociedade do Império Romano. Lembrando que os últimos jogos da história realizados por lá foram no século VI, a partir de então foi vítima de saques, terremotos e até bombardeios durante a Segunda Guerra Mundial.

Foro Romano – Ir à Roma e não visitar o Foro Romano, é a mesma coisa de ir ao Rio e não visitar o Cristo. Foi aqui onde aconteceu a vida pública e religiosa da Roma Antiga. O Foro Romano está localizado juntamente ao Coliseu. Siga a Via Sacra, e imagine esse lugar há mais de 20 séculos atrás, quando Júlio César estava andando por aquela rua. Além dos inúmeros templos presentes no Fórum (Saturno, Vênus, Romulus e Vesta por exemplo), vale a pena prestar atenção também no Arco de Tito, Arco de Severo Settimio, Templo de Antonino e Faustina, Basílica de Maxêncio e Constantino, a Cúria Iulia e Colonna di Foca.

#DicaTPO: Para evitar longas filas, a dica é fazer esse passeio bem cedo, ou comprar o Rome Pass.

  • Localização: Piazza del Colosseo , 00184, Roma.
  • Horários: Todos os dias, das 8:30 às 19:00. – Fechado para o Natal e Ano Novo.
  • Valores: Bilhete para o Coliseu, o Fórum e o Monte Palatino: Adultos: € 12. Cidadãos da UE entre 18 e 24 anos: 7,50 €. Crianças menores de 17 e maiores de 65 anos: entrada gratuita. Tour del Colosseo, Foro e Palatino 40€
  • Transporte: Metrô – Coliseu, linha B.
  • Locais próximos: Arco de Constantino (144m), Basílica de San Pietro in Vincoli (421m), Basílica de San Clemente (473m), Monte Palatino (478m), Fórum Romano (511m).

Fontana di Trevi – Com uma largura de 20 metros e uma altura de 26 metros, a Fonte de Trevi é a maior e mais espetacular fonte de Roma. A famosa fonte da moeda, foi construída há 19 a.C, quando constituiu o término do aqueduto, o Aqua Virgo. Mas você já conhece a tradição da fonte, que nasceu em 1954 com o filme “Tre soldi nella fontana di Trevi”? Jogando uma moeda na fonte, você retornará a Roma, jogando duas moedas na fonte, você encontrará o amor da sua vida e jogando três moedas na fonte, você se casará com um romano. Mas lembre-se, para que funcione mesmo, é aconselhável jogar a moeda com a mão direita acima do ombro esquerdo.

  • Localização: Piazza di Trevi . 00187, Roma.
  • Transporte: Metrô – Barberini, linha A (vermelha).

Piazza Navona – Construída em um elegante estilo barroco, a Piazza Navona é uma das praças mais bonitas e famosas de Roma. Ela está localizada no lugar do antigo estádio de Domiciano (Circo Agonal), que tinha capacidade para abrigar 30.000 espectadores, onde os romanos realizavam suas atividades esportivas e competitivas. O que mais fascina nessa praça são as três fontes construídas durante o mandato de Gregorio XIII Boncompagni: Fontana dei Quattro Fiumi, Fontana del Moro e Fontana del Nettuno. Além disso, é legal lembrar que a praça é toda cercada por bares e restaurantes e apresentações de artistas de rua, como mágicos e dançarinos.

  • Transporte: Metrô – Barberini, linha A (laranja).
  • Locais próximos: Museu de Roma (140 m), Palácio Altemps (246 m), Agrippa Pantheon (310 m), Campo de ‘Fiori (366 m), Área Sagrada (496 m).

Piazza San Pietro – Construída, por ordem do Papa Alexandre VII, entre 1656 e 1667, e projetada por Bernini, a Piazza San Pietro é uma das maiores e mais bonitas praças do mundo, contando com 320 metros de comprimento e 240 metros de largura, conseguindo abrigar mais de 300.000 pessoas. Localizada no sopé da Basílica de São Pedro, no Vaticano, a praça conta com 284 colunas e 88 pilares que os cercam, e no topo das colunas, existem 140 estátuas de santos, criadas em 1670 pelos discípulos de Bernini, além de um obelisco e duas fontes em seu centro.

  • Localização: Cidade do Vaticano.
  • Transporte: Metrô – Ottaviano , linha A (vermelha).
  • Locais próximos: Basílica de São Pedro (205 m), Capela Sistina (261 m), Museus do Vaticano (584 m), Castel Sant’Angelo (766 m).

Basilica di San Pietro – A construção da basílica começou em 1506 e terminou em 1626, onde vários arquitetos participaram do projeto, como Bramante, Michelangelo e Carlo Maderno. A Basílica abriga a Santa Sé no seu interior e é o templo mais importante da Igreja Católica, onde o Papa celebra as liturgias mais importantes. Seu nome foi dado como uma homenagem ao primeiro papa da história, São Pedro, cujo corpo está enterrado por lá.

  • Horários: 1º de outubro – 31 de março: das 07:00 às 18:30. De 1º de abril a 30 de setembro: das 07:00 às 19:00. A cúpula abre uma hora após a Basílica e fecha uma hora antes.
  • Valor: A entrada para a basílica é gratuita. Para subir até o terraço com a cúpula, e continuar a pé os 320 degraus, é cobrado um valor de 8,00 €. Para subir até o terraço a pé, os 551 degraus, é cobrado € 6,00. Tour do Vaticano: Museus, Sistina e San Pietro 55 €.
  • Transporte: Metrô – Ottaviano , linha A (vermelha).
  • Locais próximos: Capela Sistina (95 m), Vaticano (201 m), Praça de São Pedro (205 m). Museus do Vaticano (521 m), Castelo Sant’Angelo (970 m).

Cappella Sistina – Construído entre 1473 e 1481, durante o mandato do Papa Sisto IV e projetada por Giovanni de Dolci, A Capela Sistina é um dos tesouros mais importantes não só do Vaticano, como de Roma e do mundo. Além de ser famosa pelas suas obras pitorescas, onde todas as obras do teto além de outras espalhadas pela igreja, como no altar principal, são de Michelangelo Buonarroti, é nesse local onde os papas são eleitos.

  • Localização: Dentro dos museus do Vaticano.
  • Horário: Verifique os horários dos museus do Vaticano.
  • Valores: Veja os preços dos museus do Vaticano.
  • Transporte: Metrô – Cipro-Musei Vaticani, linha A (laranja).
  • Locais próximos: Basílica de São Pedro (95 m), Vaticano (123 m), Praça de São Pedro (261 m), Museus do Vaticano (432 m), Castelo de Santo Ângelo (1 km).

Piazza di Spagna – Localizada em uma das melhores áreas de Roma, essa é uma das praças mais famosas da cidade. Seu nome veio da presença da Embaixada da Espanha, desde o século XVII. As suas escadas, uma das coisas mais características do local, e um ponto de encontro para muitos romanos, foram construídas no início do século XVIII para conectar a praça à Igreja da Trinità dei Monti. No centro da praça também podemos desfrutar da Fontana della Barcaccia, projetada em 16627 por Pietro Bernini para o Papa Urbano III.

  • Transporte: Metrô – Espanha , linha A (vermelha).
  • Locais próximos: Casa Keats-Shelley (21 m), Igreja de Santa Maria della Concezione (538 m), Fonte de Trevi (542 m), Ara Pacis (563 m), Piazza Colonna (565 m).

Pantheon di Agrippa – Conhecido como “Panteão”, essa é uma das obras-primas mais famosas da arquitetura romana. Concluída na época de Adriano, em 126 d.C, o que  mais surpreendente na construção são suas dimensões, já que seu diâmetro tem exatamente a mesma medida de altura, 43,30 metros. Além disso, existe uma cúpula, onde no seu centro existe um óculo de 8,92 metros de diâmetro, que permite que a luz natural penetre e ilumine todo o edifício. No início do século VII, o edifício foi doado ao Papa Bonifácio IV que o transformou em uma igreja, razão pela qual está atualmente em perfeito estado de preservação. Dentro do Pantheon também estão os túmulos dos reis da Itália e várias obras de arte.

  • Localização: Piazza della Rotonda, entre a Fonte de Trevi e a Piazza Navona.
  • Horário: Segunda à sábado das 8h30 às 19h30 (último acesso às 19h15). Domingo: 9:00 às 18:00 (último acesso às 17:45). 1º de maio (feriado nacional): das 9:00 às 18:00 (último acesso às 17:45).
  • Valores: Entrada livre.
  • Transporte: Metrô – Barberini, linha A (vermelha).
  • Locais próximos: Piazza Navona (310 m), Museu de Roma (339 m), Área Sagrada (346 m), Igreja do Evangelho (352 m), Piazza Colonna (372 m).

Catacombe di Roma – Construídos entre os séculos II e V, as catacumbas são galerias subterrâneas, que foram usadas por vários séculos como cemitérios para enterrar corpos de pagãos, judeus e primeiros cristãos. São sessenta catacumbas em Roma, com cem quilômetros de galerias subterrâneas, porém apenas cinco estão abertas ao público: Catacumbas de San Sebastiano, Catacumbas de San Callisto, Catacumbas de Priscila, Catacumbas de Domitilla e Catacumbas de Sant’Agnese. É legal percorrer os corredores escuros e úmidos, onde existem, além dos nichos, alguns descritivos com os nomes dos mortos. Na visita guiada, o guia irá informar fatos interessantes sobre as catacumbas e a época em que foram construídas e usadas.

  • Valores: Adultos: 8 € e menores de 15 anos: 5 €.
  • Locais próximos: Terme di Caracalla (3,2 km), Basílica de San Giovanni in Laterano (3,3 km), Basílica de São Paulo fuori le Mura (3,4 km), Basílica de San Clemente (3,9 km), The Circus Maximus (4,2 km).

ROME PASS: Como sabemos que Roma é uma cidade muito turística, as atrações costumam ficar lotadas, por isso, nós sugerimos a compra do Rome Pass, – cartão turístico que oferece descontos para visitar os principais locais da capital, além de permitir o uso de transporte público ilimitado por 2 ou 3 dias.

  • Valores: O preço do cartão para três dias é de € 38,50, já para o uso de 48 horas custa € 28. Vale tão a pena adquirí-lo que o acesso ao Coliseu e aos Museus Capitolinos já compensa o custo total do cartão.
  • Onde comprar: O Rome Pass pode ser adquirido em pontos de informações turísticas, em todos os museus e monumentos ou pela internet, o Get Your Guide disponibiliza o pacote menor. 

Não deixe de ir também:

  • Distrito de Trastevere;
  • Ponte e Castel Sant’Angelo;
  • Piazza del Popolo;
  • Jardins da Villa Borghese;
  • Piazza del Campidoglio;
  • Piazza Venezia;
  • Coluna de Trajano;
  • Fóruns Imperiais;
  • Termas de Diocleciano;
  • Arqueologia e shows nas Termas de Caracalla;
  • Circus Maximus;
  • Ara Pacis e o mausoléu de Augusto;
  • Foro Boario;
  • Palazzo Senatorio;
  • Galeria Doria Pamphilj;
  • Santa Maria Maggiore;
  • Villa Adriana.

Piazza Venezia

Museus em Roma:

  • Galleria Borghese;
  • Museus do Vaticano;
  • Museus Capitolinos;
  • Museu Nacional Romano;
  • Galeria Nacional de Arte Moderna;
  • Palácio Barberini;
  • Palazzo Doria Pamphilj;
  • Villa Giulia;
  • Villa Farnesina;
  • Museu de Roma;
  • Palazzo Venezia;
  • Galleria Spada.

Andando como um Romano

Para complementar as nossas dicas de Roma, contamos com a ajuda de Marcelo Tolomeu, um advogado brasileiro, porém filhos de italianos, que ama e está sempre pela Itália.

Marcelo compartilhou dicas incríveis, principalmente para quem gosta de conhecer os lugares onde os próprios locais frequentam. Veja só;

Ao norte do centro, um pouco fora do circuito turístico tem o Quartiere Salário, elegante, descolado, cool, cheio de lojinhas interessantes de comida para serem descobertas. Tem também uma feira na região que rola todos os dias, menos aos domingos, nesta feira há comidas, roupas e artigos de todos os tipos,  é bem típica das feiras italianas,    (i mercati). Esta zona já foi mais “romana”, agora os turistas estão começando a descobrir, mas ainda é um local de nativos.

Ali pelo bairro tem também muitos restaurantezinhos bem típicos, tratorias de cozinha romana.

Próximo do Quartiere Salário tem o Parioli, um bairro mais nobre, com lindos prédios e apartamentos, carrões pelas ruas, que dão aquele ar de Roma chique. 

A Piazza Fiume também é um point dos romanos, onde tem um comércio bem local, sem muitos turistas. Nesta praça tem uma Loja Rinascente (uma famosa loja de departamento italiana). Além disso, tem uma Rinascente perto da Via del Corso também super legal, só big brands, e no último andar encontramos a área gastronômica. É tudo bem descolado, vale um passeio por lá.

Parco Degli Aranci é uma praça com um incrível por do sol onde se tem uma vista maravilhosa de Roma, pois fica localizada em um lugar mais elevado.

Uma parte mais moderna da cidade é, o EUR, um complexo urbanístico no atual quartiere Europa, que foi programado e construído para a Exposição Universal de Roma (EUR) para celebrar o vigésimo aniversário da Marcha sobre Roma Fascista de 1922, é muito interessante. Esse é um bairro todo programado, tipo Brasília.

Deu para sentir o gostinho da cidade? Então calma, que ainda tem mais dicas no próximo post dessa semana. Enquanto isso, você pode dar uma viajada pela Itália com as nossas dicas. 

Newsletter Inscreva-se na newsletter e receba gratuitamente todas as novidades do blog!

• Faça um comentário deste assunto •

Posts Relacionados