Pin TPO 5 museus subaquáticos no Brasil para você conhecer

2 maio, 2019
Autor: Redação

Se tem uma coisa que nós gostamos, é de desvendar histórias. E acreditamos que viajar e todas as experiências em volta, esteja totalmente ligado à isso, como por exemplo explorar lugares históricos e que carregam muita vida até hoje. Para viajantes que piram nesse assunto, esse post vai te enlouquecer. Por aqui trouxemos 5 museus subaquáticos no Brasil para você explorar.

Continue com a gente, e se planeje para a sua próxima aventura!

Você sabia que a costa brasileira é um dos lugares que mais possui naufrágios valiosos, do mundo? O motivo é que o Brasil, desde seu descobrimento, estava em uma rota colonial muito importante, onde já foram contados mais de 20 mil naufrágios desde aquela época.

Esses naufrágios, além de muitos possuírem até os dias de hoje, ouro e objetos valiosos em seu interior, atraindo os chamados “caçadores de tesouro”, também despertam muita curiosidade dos amantes de história e mergulhadores, ao entrar em um navio que fez parte da história e ainda permanecendo no fundo do mar, é uma experiência para levar para o resto da vida.

Infelizmente nem todos os naufrágios são permitidos serem visitados, e isso é uma regra no mundo inteiro. Mas aí vai uma notícia incrível sobre o assunto: a exploração do naufrágio do Titanic foi liberada esse ano, com datas entre 26 de junho e 12 de agosto, no Canadá. Não é incrível?!

Mas voltando ao Brasil, o mergulho autônomo turístico é reconhecido pelo Ministério do Turismo, e de acordo com estudos, 19% dos turistas estrangeiros, vêm ao nosso país por esse motivo.

Diversos navios naufragados no Brasil podem ser explorados, tanto através de mergulhos em alto mar com equipamentos específicos, quanto podem ser avistados pela superfície, apenas com uso de snorkel, como é o caso do Velasquez, em Ilhabela, – que por sinal é um dos destinos onde há mais náufragos, devido ao magnetismo e a ruim visibilidade no canal, causada pela neblina e falta de faróis.

Agora que você sabe um pouquinho sobre essa atividade tão incrível, fique pode dentro de quais são os melhores museus subaquáticos do Brasil:

Museus subaquáticos no Brasil:

Ilhabela – São Paulo

Naufrágio: Príncipe de Astúrias – Esse foi o naufrágio que causou maior número de mortes em tragédias marítimas no Brasil e um dos maiores no mundo. O Príncipe das Astúrias é um transatlântico inglês, feito pelo mesmo estaleiro do Titanic. Construído para fazer a linha entre Barcelona e Buenos Aires, carregando cargas e passageiros, ele era considerado o mais luxuoso da Espanha. O ano era de 1916, quando em sua sexta viagem pela América do Sul, dirigindo-se para o porto de Santos durante a madrugada embaixo de uma forte chuva, se chocou na laje submersa da Ponta da Pirabura, que está na costa leste da Ilhabela. Após o impacto, foi preciso apenas 5 minutos para naufragar. Oficialmente havia 654 pessoas a bordo, porém em suas partes inferiores estima-se que havia aproximadamente mil pessoas, que estavam fugindo da Primeira Guerra Mundial. Portanto não se sabe ao certo quantas pessoas morreram, mas oficialmente são 445 passageiros. Há também rumores, que existe em alguma parte submersa da Ilhabela, um volume de 11 toneladas de ouro. O naufrágio do Príncipe das Astúrias está a 100 metros da costa, em uma profundidade entre 18 a 45 metros.

Como chegar: Os aeroportos mais próximo que recebe voos regulares são os de São Paulo, porém como a ilha está apenas a 210 km da capital paulista, a maneira mais comum é ir de carro até São Sebastião e então pegar a balsa até o destino final, ou de navio, já que faz parte de uma das principais rotas de cruzeiros.

Quando ir: Clima agradável durante o ano todo, mas no verão a cidade costuma lotar e durante o inverno as temperaturas caem um pouco, principalmente durante a noite.

Melhores hospedagens da Ilhabela: 

Empresas de mergulho:

Rio de Janeiro – RJ

Naufrágio: Vapor Buenos Aires – Seguindo da Bahia para o Rio de Janeiro, o paquete – antigos navios de luxo de grande velocidade – foi naufragado devido a um erro estrondoso, pois após uma de suas caldeiras explodir, o navio passou a navegar mais devagar, e por um deslize do capitão que não deu ouvidos à sua tripulação, colidiu com a Ilha Rasa. Seus destroços estão a 12 metros da costa, e em uma profundidade em declínio até 25 metros.

Como chegar: De avião pelos aeroportos Galeão ou Santos Dumont, de ônibus parando na Rodoviário Novo Rio, cruzeiro que aporta no Píer de Mauá ou de carro através das principais estradas do Brasil.

Quando ir: Como durante o verão as temperaturas sobem muito e a cidade fica lotada, a nossa dica é ir para o Rio durante o outono ou inverno.

Hospedagens no Rio de Janeiro:

Empresas de mergulho: 

Entre aqui e confira todas as nossas dicas do Rio de Janeiro.

Abrolhos – Bahia

Naufrágio: Cargueiro Rosalina – O cargueiro italiano vindo em direção à Salvador, com cimento e cerveja, afundou em 1955 depois de bater e permanecer encalhado no recifes de Abrolhos. Quando os tripulantes perceberam a água invadindo o navio, eles evacuaram imediatamente em uma lancha de salvamento. O navio que possui mais de 100 metros de comprimento está inteiro, a uma profundidade de 20 metros.

Como chegar: A cidade mais próxima de Abrolhos, é Caravelas, que está a 80 km, localizada no extremo sul da Bahia. Lá podemos encontrara Sede, o centro de visitantes e a maioria das agências de turismo autorizadas que realizam os passeio ao Parque Nacional Marinho dos Abrolhos. Para chegar até Caravelas, o aeroporto mais perto que recebe voos regulares de outras capitais do Brasil é o de Porto Seguro a 261 km, ou através do trajeto rodoviário a partir da BR 101.

Quando ir: Nos meses entre dezembro e março, nessa época as águas ficam mais transparentes, e por isso a visibilidade para o mergulho é melhor.

Melhores hospedagens dos arredores de Abrolhos:

Empresas de mergulho:

Entre aqui e confira todas as nossas dicas do Arquipélago de Abrolhos.

Cabo de Santo Agostinho – Pernambuco

Naufrágio: Santa Rosa – Em 1726, um nau português, considerado um dos mais importantes de Portugal na época, transportava 70 canhões de ferro e bronze. Foi então que após uma explosão, o navio naufragou. Há uma teoria que o acidente aconteceu depois de uma briga entre o capitão e um comandante do regimento de soldados. Com mais de 700 homens abordo, apenas 7 sobreviveram. Além disso, aproximadamente 6 toneladas de ouro, pedras preciosas e peças de grande valor histórico, que pertenciam ao Rei, em um tesouro avaliado em aproximadamente US$ 700 milhões afundou também, entrando então para a lista dos naufrágios mais ricos do mundo, ainda não localizados.

Como chegar: O destino está no sul de Pernambuco, na Região Metropolitana do Recife, portanto o aeroporto mais próximo é o de Cabo de Santo Agostinho localizado na capital, que está a 32 km de distância. É possível chegar também pela rodovia, através da BR-101 e depois a PE- 060. Além disso, há diversas empresas de ônibus que operam de Recife até o destino.

Quando ir: O clima é tropical, portanto as temperaturas são altas o ano inteiro, porém, a época com menos chances de chuvas é entre outubro a janeiro.

Melhores hospedagens de Cabo de Santo Agostinho:

Empresas de mergulho:

Fernando de Noronha – Pernambuco

Naufrágio: Corveta Ipiranga – Pertencente à Marinha do Brasil, em 1983 a corveta que fazia uma viagem de patrulhamento na costa do nordeste, naufragou após se chocar subidamente com a Cabeça da Sapata, localizada nas águas da Ponta da Sapata. Como o naufrágio demorou cerca e 8 horas para acontecer totalmente, as cargas e tripulantes ficaram ilesos. O local está a 20 minutos de navegação do porto, em uma profundidade entre 55 a 60 metros.

Como chegar: Noronha está a 545 km de Recife e a 360 km de Natal, e por ser uma ilha, só é possível chegar no destino por embarcação ou avião, – a opção mais escolhida pelos turistas-. Há voos diretos para Fernando de Noronha apenas saindo de Recife ou Natal, e duram cerca de uma hora de viagem.

Quando ir: O clima em Noronha é agradável o ano inteiro, porém para quem vai mergulhar, os melhores meses para fazer essa viagem são setembro e outubro, época em que o mar está mais calmo e cristalino.

Melhores hospedagens de Fernando de Noronha:

Empresas de mergulho:

Dicas para mergulhar em naufrágios:

  • Não encare essa sozinho;
  • Conte com agências treinadas e especializadas no assunto;
  • Praticar o mergulho em naufrágios exige técnicas mais avançadas, portanto vá com experiência e muito bem preparado;
  • Utilize equipamentos em boas condições;
  • Fique sempre de olho em seu instrutor;
  • Conheça quais são os risco e evite-os ao máximo;
  • Tenha disciplina;
  • Respeite sues limites;
  • O ideal é sempre mergulhar em equipe.

Sem palavras, não é?! E para conferir a lista oficial de naufrágios no Brasil, é só clicar aqui.

 

 

 

 

 

 

Newsletter Inscreva-se na newsletter e receba gratuitamente todas as novidades do blog!

• Faça um comentário deste assunto •

Posts Relacionados