Turismo no Deserto da Namíbia: Os principais pontos turísticos e dicas imperdíveis

23 maio, 2018
Autor: Redação

Foi-se a época que a África era deixada como última opção pelos amantes de viagens. Hoje ela está na lista de destinos mais procurados do mundo para visitar, e não é para menos, né?! É tanta beleza natural, diversidade cultural e experiências únicas, que é praticamente impossível alguém não se interessar por esse continente tão rico. E não pense que é só a África do Sul a queridinha dos turistas, o Deserto da Namíbia é mais um lugar que deixa qualquer amante da natureza e principalmente de aventura, de queixo caído e com uma bagagem lotada de novidades e acontecimentos inusitados.

Não acredita? Então entre aqui, e se surpreenda mais uma vez com a África!

Considerado o deserto mais antigo do mundo, tendo aproximadamente 43 milhões de anos, o Deserto da Namíbia possui uma área de 50.000 km quadrados, que se estende além das fronteiras do país, chegando até o sul de Angola e a província do Norte do Cabo, na África do Sul, além de integrar o Parque Nacional Naukluft, a maior reserva natural do mundo.

São centenas de dunas, vales, lagos intermitentes, encostas e planícies, que formam as 4 áreas distintas do deserto: a Costa dos Esqueletos – que vai da fronteira com Angola até o Rio Ugab, as Planícies da Namíbia – que começam a partir do Rio Ugab até o Rio Kuiseb, o Grande Mar de Areia – uma área desértica por excelência que se estende do Rio Kuisab ao Luberitz e por fim a Área intermitente de areias e planícies de cascalho – que vai de Luberitz ao Rio Orange, na fronteira com a África do Sul.

Não é preciso nem dizer o quando sua fauna é rica, não é?! Se tem uma coisa que todos sabem bem dessa região, é a quantidade de animais selvagens que habitam o lugar, como por exemplo: chacal de costas pretas, hienas, zebras-das-montanha, cavalos, leões, babuínos, raposas, leopardos, elefantes, cobras, lagartos, aranhas, escorpiões, sem contar na quantidade de aves e insetos que por ali rodeiam.

Sua flora também não fica para trás, são inúmeras espécies raras de plantas e flores, entre elas as suculentas, grama de búfalo azul, geigeria comum, espinho do diabo, gergelim selvagem, e entre outras diversidades bem exóticas.

E por ser um ambiente singular, extraordinário, diferente e ainda chamar atenção pela quantidade de espécies, tanto de plantas quanto de animais, que sobrevivem e se adaptam nos diversos micro-habitats que estão em constante mudança, em 2013 o Mar de Areia da Namíbia, se tornou parte do Patrimônio Mundial da Unesco.

E sabe o mais incrível de tudo isso?! É possível desfrutar de toda essa beleza natural de pertinho, através de centenas de tours e guias que realizam passeios para as diversas atrações que esse deserto tão importante oferece.

Atrações principais do Deserto da Namíbia:

Sossusvlei: Localizado dentro do Parque Nacional de Namib-Naukluft, esse é um dos pontos principais do deserto. Por lá podemos observar uma grande área formada de sal e argila branca chamada de Deadvlei, que é cercada por enormes dunas vermelhas. É lá também que está localizada a “Big Daddy” a maior duna do mundo, que possui aproximadamente 380 metros de altitude, logo é indispensável a subida. A vista é simplesmente inexplicável, e o horário mais indicado para visitar o parque, é no nascer do sol, que é perfeito para admirar as mudanças de cores provocadas pelos raios solares nas dunas.

Swakopmund: Se você é apaixonado(a) por esportes radicais, aqui é o ponto auge da sua viagem. É em Swakopmund, conhecida como a capital dos esportes, você poderá saltar de paraquedas sobre o deserto, desbravar a região através de quadriciclo ou bike, praticar um sandboard pelas dunas e até fazer um passeio de balão sobre as paisagens. A cidade está na costa da Namíbia que é banhada pelo oceano Atlântico. Quando estiver por lá, não se esqueça de caminhar pela Costa do Esqueleto, por lá estão os navios encalhados e os inúmeros flamingos daquela região.

Etosha: Mais um parque indispensável de conhecer é o Etosha National Park, uma das maiores reservas naturais do continente africano. Por lá, além de podermos observar inúmeras espécies de animais livres em seu habitat, é lá que conseguimos admirar os famosos “Big Five“, os 5 mamíferos selvagens mais complicados de serem caçados por humanos, ele são: elefante, búfalo, leão, rinoceronte e leopardo. Ah, e dentro do parque, ainda podemos desfrutar de algumas hospedagens, que vão das mais luxuosas até as mais simples, como os campings.

Solitaire: Um mero vilarejo, que está no meio do caminho para Sossusvlei. Por lá encontramos apenas uma loja, um posto de gasolina, um hotel e uma padaria. E você deve até estar se perguntando o motivo desse lugar ser indispensável. Pois bem, lá é legal de visitar pois parece mais uma cena do velho oeste do que qualquer outra coisa, com carcaças de carros, cactos pelo caminho e muita areia, (claro). Lá também pode ser um bom ponto para uma pausa, um descanso e até conhecer algumas coisas típicas, como a torta de maçã, que é muito famosa nessa região.

Atividades:

Deu pra perceber que tédio é a última coisa que você sentirá em uma viagem como essas, né?! Veja só as atividades que você pode fazer no meio do deserto.

  • Passeio de balão de ar quente;
  • Trekking pelo deserto;
  • Parapente;
  • Sandboarding;
  • Safari;
  • Kayaking;
  • Excursões culturais;
  • Quad bike.

Como chegar:

Para desbravar o deserto mais antigo do mundo, o ideal é começar a partir da capital da Namíbia, Windhoek, que conta com aeroporto internacional, com vôos diários de Botswana e África do Sul.

Além disso, a cidade ainda oferece algumas opções de vôos fretados para Sossusvlei, Swakopmund e Etosha.

Onde ficar?

Você pode se hospedar tanto na capital, quanto nos pontos turísticos do deserto, separamos algumas opções de hospedagens de cada um deles:

Windhoek:

Sossusvlei:

Etosha:

Quando ir?

É entre julho a outubro a época da alta temporada, pois são os mêses que a observação dos animais é perfeita, e as temperaturas estão amenas.

Clima no Deserto da Namíbia:

Como em todo deserto, as temperaturas variam muito em 24 horas. Por lá, os termômetros chegam até 60°C durante o dia, e abaixo de 0°C à noite. Além disso algumas áreas recebem chuvas,  com uma média de 10mm por ano.

Portanto nossa dica, principalmente se sua opção de hospedagem for no meio do deserto, é levar na mala tanto roupas de extremo frio, quanto roupas levinhas para o dia. Ah, e claro, sempre pensando que você irá caminhar o dia inteiro, portanto roupas adequadas e sapatos próprios para isso. Um must-have para essa mala é a segunda pele, que é leve, ocupa pouco espaço e esquenta bastante!

É importante saber:

  • Para entrar na Namíbia não é preciso visto, porém o Certificado Internacional de Vacinação contra febre amarela é imprescindível.
  • A moeda do país é o Dólar Namibiano (NAD).
  • Se você quiser ir além, no quesito experiências únicas para ficarem marcadas em sua vida, a Namíbia também é um ótimo lugar para fazer um trabalho voluntário. Há desde os mais complexos, quanto os mais simples de um dia, como por exemplo o Soup Kitchen, um projeto que necessita de pessoas para servir almoço para crianças carentes da capital do país. O trabalho é feito pela ONG Home of Good Hope, e alimenta aproximadamente 600 crianças todos os dias.

E se esse conteúdo fez os seus olhos brilharem, e te deu uma vontade enorme de ir pra África agora mesmo, dê só uma olhada nesses posts que fizemos por aqui, que irão te inspirar ainda mais:

Beijos e até a próxima viagem!

Tags:
Newsletter Inscreva-se na newsletter e receba gratuitamente todas as novidades do blog!

• Comentário no Blog deste assunto é aqui •

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

• Faça um Comentário no Facebook deste assunto •

Posts Relacionados